Um afilhado se escolhe. Esta é a única certeza que tenho ao ser gentilmente convidada para escrever a apresentação do meu afilhado de coração, o jornalista, cineasta, escritor e professor de Escrita Criativa, Adriano Portela, para o Destaque Literário de julho, 2021, projeto de Bernadete Bruto, Eugênia Menezes, Raldianny Pereira e Taciana Valença na Cultura Nordestina de Salete do Rêgo Barros.

Adriano é um daqueles geniozinhos que temos a honra e a alegria de cruzar ao menos uma vez na vida. Solícito, pronto para atender aos mínimos pedidos, nos aquece o coração com a capacidade infinita de apreender coisas novas, desenvolver habilidades nunca antes exploradas, forjar-se artista da maneira mais completa, individual (e coletiva ao mesmo tempo) possível.

No lançamento de Recife assombrado: o filme, em novembro de 2019.

Conheci Adriano em 2014, na disciplina Crítica Literária, ministrada pela Profa. Dra. Ermelinda Ferreira, sua futura orientadora no programa de Pós-graduação em Letras da UFPE. Ele assistia, na condição de ouvinte, à disciplina que eu assistia, na condição de aluna vínculo, recém ingressa. Conversando sobre a seleção, ofereci o material (imenso) que estudei, e ele, obediente, se debruçou com afinco e tirou em primeiro lugar. Nasceu então o meu amadrinhamento.

Daí em diante, foram anos de convites meus para parcerias as mais inusitadas possíveis, sempre respondidas com sim e rapidez e qualidade. Adriano é daqueles que marcam com segurança e cumprem com satisfação, e isso, para mim, é uma qualidade rara e de altíssimo valor, especialmente hoje em dia, quando a maioria dos artistas não conseguem olhar para o outro, dar-lhe a mão, ajudando a construir um mundo melhor.

Além das inúmeras frentes que abarca (cineasta, professor, escritor, pesquisador, coordenador de especialização, quase-pai-de-família), Adriano é o idealizador de um projeto social belíssimo: o Cobogó das Artes. O tempo se multiplica nas mãos desse jovem artista plural, como se quisesse abraçar o mundo, e, tenho certeza, conseguirá.

Ao menos abraça essa madrinha que o admira, curte cada vitória, como se fosse um filho que saiu de si e vê crescer. Até chegar nas estrelas.

* Adriano Portela é mestre e doutorando em Teoria da Literatura pela Universidade Federal de Pernambuco. Professor da Escola Superior de Marketing – FAMA. Jornalista e diretor de cinema. Autor do romance A última volta do ponteiro (Prêmio Internacional José de Alencar 2012, UBE/RJ). Lançou Recife assombrado: o filme, em novembro de 2019. Idealizador da Cobogó das Artes. Ministrante da disciplina Literatura e Outras Artes, e atual coordenador, com Moema Vilela e Robson Teles, da especialização Lato Sensu em Escrita Criativa Unicap/PUCRS (2021/2022). Contato: reporterportela@gmail.com