Preciso escrever versos

 

Como tirar poemas do peito?

 

Preciso extrair versos

enquanto o peito ainda bate.

 

Não há notícias de máquinas

que recuperam rimas

de um coração morto.

 

Preciso escrever versos!

 

São tantas palpitações perdidas

em um dia sem versos,

e cada palpitação

me aproxima do fim.

 

Preciso escrever versos,

preciso expurgar os poemas do peito.

 

______________________________

IMG_0143

______________________________

* Poema extraído de Guardados. Sérgio Queiroz de Medeiros. Editor: Antonio Clauder A. Arcanjo. Mossoró-RN: Sarau das Letras, 2019.

** Sérgio Queiroz de Medeiros nasceu em 1981, em Mossoró (RN). Em 2009, publicou o seu primeiro livro de poesia, Um lugar azul, e em 2012 o segundo, Poemas para ler na chuva. Começou a escrever Guardados quando morava em Aracaju (SE). Atualmente mora em Natal (RN), com a esposa e os filhos, e resiste à ideia de ter um cachorro.