Convido a fazer conexões entre os 05 posts... Patricia Tenório

“Tarde te amei, beleza tão antiga e tão nova, tarde te amei. Sim, porque tu eras dentro de mim e eu fora ali te procuravas. Desta forma, me jogava sobre as belas formas da tua criatura. Eras comigo, e eu não era contigo. Me tinham longe de ti as tuas criaturas, inexistentes se não existissem em ti. Me chamastes, e o teu grito abriu meus ouvidos; brilhastes, e o teu esplendor dissipou a minha cegueira; difundistes a tua fragrância,  respirei e aspirei o teu encontro, degustei e tenho fome e sede; me tocastes, e eu queimei pela tua paz.”

 (Livre tradução minha do italiano de Santo Agostinho, “Confissões”, Livro X, 27, 38)