Ao usar nosso site, você está aceitando o uso dos nossos cookies.

Índex* | Junho, 2021

Para Bruno e Assis * O aniversário É aquele dia Em que o tempo Para O sangue Agita A vida parece Uma longa estrada Cheia de pegadas Do bem que fizemos Da música que tocamos Das palavras escritas No coração vazio E ganharam Forma Luz…

Escrita Criativa em mim* | Patricia Gonçalves Tenório**

Junho, 2021 Capítulo 11 – Sonhos e devaneios             Uma das maiores aprendizagens nesses tempos sombrios de pandemia é a capacidade de continuar sonhando. Literalmente ou metaforicamente. Acordamos assustadas/os no meio da noite, no meio do quarto, bem longe do mundo. A angústia e a…

Mulheres poéticas

Escrita erótica para mulheres poéticas[1] Patricia Gonçalves Tenório[2] Novembro, 2020 As poetisas No prefácio de Delta de Vênus, da escritora francesa radicada em Nova York nos anos 1930 Anaïs Nins, descobrimos como construiu as suas histórias eróticas. Ela e um grupo de peso – Henry…

Índex* – Agosto, 2015

“Era uma vez uma palavra que não saiu da boca de Alice. Ele então ruborizou diante daquele nada. A palavra era um Nome, um Nome tão querido que Alice não pôde sustentar entre a língua e os dentes e deixou cair no chão. Ele foi…

É hoje! : Teatro Intinerante | Marcondes Mesqueu*

  Felicidades Marcondes Mesqueu (021) 964523908 ( ID 24*16314 ) (21) 965216662 – TIM / 995265106 – VIVO / 986338884 – OI / 968504072 – CLARO    Saiba mais: www.teatroitinerante.blogspot.com e teatroitinerante.rua1@gmail.com                           Te aguardo no…

Índex* – Julho, 2015

Eu sonho Com um mundo  Que há de vir Onde o negro dê a mão Ao branco Os sexos sejam apenas  Sexos E o homem não seja O olho invertido da  Mulher Olho para trás E vejo somente Espinhos Caminho um passo De cada vez…

Último dia em Paraty | Mara Narciso*

10 de julho de 2015 “Estava à toa na vida, o meu amor me chamou, pra ver a banda passar, tocando coisas de amor.” (A Banda, Chico Buarque de Holanda, 1966).   O início da apresentação do Grupo Carroça Mamulengo de Rio Claro, MG, estava…

Índex* – Outubro, 2014

Desaprendi A contar estórias Feito se Desaprende Cantigas de ninar   Basta somente Deitar na cama A criança Que um dia eu fui Alisar os seus cabelos E dizer que O lobo mau Está longe Longe   E nada E ninguém Vai atrapalhar A nuvem…