Na transição entre o fim do século XIX e início do século XX, Viena, capital da Áustria, vivenciava um fin-de-siècle dos mais profícuos, em que Sigmund Freud, Gustav Klimt, Hugo von Hofmannsthal, Arthur Schnitzler e Otto Wagner protagonizavam transformações radicais que viriam a mudar radicalmente o pensamento ocidental

Em uma efervescente cena cultural, as conexões entre variadas formas de cultura – psicanálise, artes plásticas, narrativa teatral, arquitetura e urbanismo – se reinventavam em meio a uma crise político-social. É nesse pano de fundo que se desenrola a trama de “A baronesa”, que narra a história de Natália Schoemberg, cantora de ópera e integrante na nobreza vienense às voltas diante da acusação pelo assassinato do marido.

A novela, de minha autoria, é assinada por Charles Allington, um heterônimo meu que, ao mesmo tempo em que narra a história, participa dela como protagonista. Confira o a novela completa em vídeos e podcasts: