Poema de Cilene Santos*

AS ESTRELAS

Às vezes acordo cedo
Quando ainda é madrugada
Abro a cortina e reclino
No peitoril da sacada
Aproveito o silêncio
Daquele fugaz momento
Pra conversar com as
estrelas
E acolher seu alento
Atentas elas me escutam
Aconselham-me certeiras
E guardam os meus segredos
Já se tornaram parceiras
Algumas, as mais antigas
Já dormem e estão apagadas
Outras piscam vez em quando
Para o sono disfarçar
As mais novas permanecem
Fazendo-me companhia
Até os primeiros traços
Do raiar de um novo dia.

________________________________________

AUDIO-2021-04-04-08-05-41 – Cilene

________________________________________

* Cilene Santos, escritora, poeta, cordelista. Professora graduada em Letras, com especialização em Língua Portuguesa. Membro da Academia Caruaruense de Literatura de Cordel, ocupando a cadeira nº 08, e tem como patrono Dimas Batista. Publicou Branca de Neve e os Sete Anões em Versos e A vida de Joel Pontes, em cordel. Participa dos Estudos em Escrita Criativa desde 2018. Contato: cilenecaruaru2013@gmail.com