Escrita Criativa em mim* – Outubro, 2020 | Patricia Gonçalves Tenório**

Capítulo 3 – Literatura e outras artes

“– Três gerações de mulheres são convidadas a salvar o Rei do Amor Perfeito. Ele está preso na mais alta torre da Vila do Castelo. Ariana é convidada a entregar-se a esse abismo, onde se ama e se é amado.”

Assim começava o espetáculo teatral As joaninhas não mentem, cuja estreia aconteceu em maio de 2011, no Palco Giratório do SESC de Casa Amarela, e depois seguiu, em junho do mesmo ano, para o Teatro Joaquim Cardozo no Derby.

No capítulo 2 de Escrita Criativa em mim, apreendemos em outra língua a maneira como Balzac, e Flaubert, e Baudelaire, e Proust construíam seus textos grandiosos. Fomos na fonte de alguns dos maiores autores da Literatura Ocidental, para nos alimentarmos, e fazermos crescer a nossa própria escrita.

Mas não somente de textos alimentamos a Escrita Criativa. Ela também é provocada (e muito) pela leitura dos quadros e das esculturas nos museus do mundo inteiro. E dos espetáculos de música, dança e teatro. Como eu disse, neste mês de outubro de 2020, em entrevista para a poetisa e escritora Bernadete Bruto (PE – Brasil):

“A escrita, por ser também uma arte, está ligada, inexoravelmente, às outras formas de expressão. Não consigo dissociá-la da música, das artes plásticas, do cinema, da fotografia. Para mim, elas provocam umas às outras, ajudam umas às outras a ampliarem as suas fronteiras. Por fazerem parte de um todo só.”

Então retornamos ao espetáculo teatral As joaninhas não mentem. As mesmas joaninhas que lançamos em Paris, na Librairie Portugal, no 146, Rue du Chevaleret. A proposta era adaptar para uma hora de espetáculo um livro de cem páginas.

A adaptação correu por conta e risco meus. O diretor Jorge Féo me convenceu de adaptar o texto para espaço e tempo reduzidos, e confesso que sofri muito cortando falas, modificando, na minha imaginação, o perfil físico e psicológico dos personagens, para se encaixarem nos jovens atores e atrizes que os interpretavam. Foram seis meses de ensaios, e cortes de falas pelos próprios atores e atrizes, até eles vestirem a pele dos personagens e nunca mais eu conseguirei ler meu livro sem pensar nessa montagem, como afirmo no vídeo abaixo.

O próximo capítulo desta coluna irá percorrer os corredores dos concursos literários, na busca pelo reconhecimento da Escrita Criativa em mim.      

__________________________________________

* Coluna publicada mensalmente nos blogs www.veragora.com.br/tesaoliterario e www.patriciatenorio.com.br.      

** Escritora, dezessete livros publicados, sendo um em formato vídeo-podcast, e mais três no prelo, mestre em Teoria da Literatura (UFPE) e doutora em Escrita Criativa (PUCRS). Contatos: grupodeestudos.escritacriativa@gmail.com e https://www.youtube.com/estudosemescritacriativa