Sumiço do ovo: contos e crônicas* | Taciana Valença**

Pedaço de saudade…

Ao meu pai

 

A pior hora era a de acordar. Mas às cinco da manhã, religiosamente, ia caminhar.

Quando então ouvia aquela bendita musiquinha do rádio: “vambora, vambora, olha a hora, vambora, vambora…”, fazia que não ouvia e algo em mim pedia para me esconder sob o edredom e enfiar a cabeça por debaixo do travesseiro.

Mais um toque.

Não vai?

Estou indo.

Mais que depressa levantava e ia. Cara de sono, corpo mole…

A sonolência até pisar na areia da praia era mortal. Mas ao chegar e sentir a água tocar os pés, começava a despertar.

Caminhávamos um longo trecho (da praia de Piedade até Boa Viagem). Conversa agradável, sol gostoso, alongamentos e corridas. Na volta, o mergulho, lavando a alma para o dia que se iniciava. Uma alegria!

Casa, banho tomado, farda e café da manhã. E o dia se iniciava leve, com o corpo pronto para as atividades.

O sol, o mar, o despojamento, sempre me causavam um sentimento de leveza. Ele sentia o mesmo, principalmente sobre os banhos no mar. Dizia-me que se aquele prazer fosse pago, filas enormes se formariam.

Gostava de ficar horas e horas mergulhando, nadando, ou simplesmente sentada na areia olhando o horizonte.

Essa minha ligação com o mar, provavelmente, veio desses momentos. Por isso sempre me lembro dele ao fazer caminhadas pela praia e quando mergulho e sinto a água envolver todo o meu corpo. Um útero.

Hoje, sem suas pegadas, sem o seu sorriso, sem a sombra do seu boné, que me confortava, sinto saudades, e revivo esses momentos.

Porte atlético, bronzeado, jeito comedido ao comer, saboreando o alimento, tudo isso me fazia acreditar que o teria por um bom tempo em minha vida. Mas ele, bem mais cedo do que eu esperava, se foi.

Doeu. Doeu muito porque, além de pai, perdi um parceiro de vida, um grande amigo e companheiro.

Assim, embora um grande pedaço de mim tenha partido, ele, ele por inteiro, ficou em mim.

 

__________________________________________

IMG_9583

__________________________________________

* Texto extraído de Sumiço do ovo: contos e crônicas. Taciana Valença. Apresentação: Ivanilde Morais de Gusmão. Recife: Ed. do Autor, 2019.

** Taciana Valença, pernambucana do Recife, é administradora de empresas por formação (UFPE-1988), assessora literária, árbitra e mediadora de conflitos, massoterapeuta, escritora, compositora, primeira vice-presidente da União Brasileira de Escritores-Recife e produtora cultural. São de sua autoria os livros infantis (Malu em Apuros e Especialmente Criança) e o de poemas (Febre), além de ter participação em diversas antologias. É responsável pelo projeto Conversando Perto de Casa, na Livraria Jaqueira, editora da Revista Perto de Casa, criadora do projeto Navegando em poesias e coordenadora do Destaque Literário na Cultura Nordestina Letras & Artes, junto com a escritora Eugênia Menezes (projeto de Bernadete Bruto). Links onde podem ser encontrados um pouco dos seus escritos: http://ensaiandopoesias.blogspot.com/ e https://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=27346