Porto do tempo* | Chico Alves d’Maria**

Porto do Tempo

 

Olho para trás.

Amores, amigos, dores,

acenam do cais.

 

O tempo pousou bem ali,

descansa as asas.

 

Só uns segundos,

enquanto a inspiração não vem.

 

Vida breve

leve-me leve,

leve-me.

 

Que o tempo voa

e a morte,

por sorte,

nunca se atrasa.

 

Inteiramente

 

Metade de mim

sou eu – outra se esqueceu

que sou mesmo assim.

 

Há uma espera em mim,

que nunca alcança o fim.

Que se procura,

qual saudade sem cura.

 

Espinho que não cessa,

mordaça que não cala.

O gatilho e a bala.

 

Que só se deixa ver

pela porta entreaberta,

na cadeira vazia,

à meia-luz

na sala.

 

______________________________

IMG_9054

______________________________

* Poemas extraídos de Porto do tempo. Chico Alves d’Maria. Mossoró, RN: Sarau das Letras, 2019.

** Chico Alves d’Maria é o atual pseudônimo de Francisco Alves Filho, nascido em Areia Branca – RN, em 1955. É engenheiro, poeta, escritor, compositor, letrista, cantor e ator. Na literatura, estreou em 2016 com o livro de poesias Ancoradouros e, em 2017, lançou o livro de prosa denominado Contos de Areia. Agora, lança Porto do tempo, seu segundo livro de poesias.