Lua de sangue* | Natália Setúbal**

Sondar os mistérios da face oculta

a inquieta humanidade

à espera da efêmera apoteose

 

Distraídos das coisas  mundanas

atentos içaremos nossas velas

no caminho das nuvens

 

E mais tarde,

quando o véu da noite

descer sobre a Terra

Ó lua carmim,

transmuta teu escarlate

– tamanha magia

e asparge  sobre a Terra

 

a cor da esperança

 

__________________________________

* Poema publicado no Zero Hora (Porto Alegre, RS) em 26/07/2018.

** Natália Setúbal é participante dos Estudos em Escrita Criativa de Porto Alegre. Contato: nataliasetubal.adv@gmail.com