Minicontos de Júlia Dantas nos Estudos em Escrita Criativa – Porto Alegre

Mito

25/04/2018

O sol ardia no meio da tarde. O ar seco arranhava na garganta. Um vento eterno soprava a poeira para cima da encosta. No horizonte cinza, não havia nada. Acima das nuvens, não havia nada. Debaixo dos pés, nada. Para a frente e para trás, nada. Sísifo sentou-se sobre a pedra e descansou mil anos.

 

Viagem

16/05/2018

Lisete saiu Furiosa na casa da mãe. Essa velha nunca vai mudar, pensou a caminho da rodoviária, gente que. Só tem estudo não vai pra frente. Lisete sim ia pra frente. Ia pro banco da frente do ônibus que a levaria embora de São Pedro da Serra. Passou lendo as três horas do caminho. Depois estudou a semana toda, depois o ano e, depois, a vida. A essa altura já tinha um cargo de coordenação, uma aposentadoria engatilhada e uma mãe morta. Foi no dia em que um bem-te-vi desafinou seu canto matutino que Lisete teve vontade de voltar a São Pedro da Serra. Deixou uma reunião pelo meio, abandonou o casaco blazer e embarcou descalça no ônibus que a traria de volta. No lugar da mãe encontrou uma casa tomada por plantas. Começou uma jardinagem feita com as próprias mãos e só descansou dias, semanas, anos depois, quando percebeu os dedos calejados.

 

___________________________________________

Julia Dantas é escritora, editora e jornalista. Seu romance Ruína y leveza (Não Editora, 2015) foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura, prêmio AGEs de Livro do Ano e Prêmio Açorianos de Criação Literária. Tem contos publicados em antologias e revistas literárias. Mestre em Escrita Criativa pela PUCRS, tem experiência em traduções técnicas a partir do inglês e do espanhol e atuou durante três anos como preparadora de originais na Editora Dublinense, em Porto Alegre. Hoje se dedica ao doutorado na mesma área, mantém uma coluna quinzenal no jornal Zero Hora e finaliza seu segundo romance. Contato: juliadantas@gmail.com