Poema de Alcides Buss*

NO FIM DAS CONTAS

Poetas raramente creem na eternidade,
mas acreditam na imortalidade
das palavras.

Sim, das palavras!

Mais do que a si próprios,
bendizem os seres
e simulacros feitos de palavras.

De tal maneira enamoram-se
que por elas se deixam conduzir
e que elas mesmas digam
o que sonham
ou pensam de viver.

Não fossem igualmente tão mortais,
fariam deles, os poetas, seus arautos
eternos.

* Contatosalcides-buss@hotmail.com e www.alcidesbuss.com