“Ancoradouros”* | Kiko Alves

Brotação

 

Pela manhã

Um coração sereno

Ao meio-dia

Um coração faminto

No fim da tarde

Um coração ameno

Bem à noitinha

Um coração felino

Quando me deito

Um coração moreno

Quando acordo

Um coração menino

 

Desencontro

 

O relógio é circular

O ponteiro passa sempre na hora marcada

Mas o tempo nunca está

 

Pintura

 

Pintou a vida com arte

Nas cores que ele quis

Pintou de prata a noite

Pintou o dia feliz

As manhãs pintou listradas

As tardes azuis anis

E no dia de sua morte

Pintou o céu com um giz.

 

_________________________________

Ancoradouros. Kiko Alves. Mossoró, RN: Sarau das Letras, 2016.