“La bambina dagli occhi verdi” | Patricia Tenório*

 

La bambina dagli occhi verdi

 

Patricia Tenório

Favola Lúdico-Adulta, 2016

IPOC (Italian Path Of Culture) – Milano, Italia / Milão, Itália

Tradução / Traduzione: Alfredo Tagliavia

ISBN: 978-88-6772-170-2

Preço / Prezzo: 15 euros

82 pagine / páginas

 

Inoltrandosi nelle pagine di questa “favola ludico-adulta”, il lettore concorderà, forse, nel pensare che la filosofia è di casa nella scrittura della brasiliana Patricia Gonçalves Tenório.

Non sempre, in un piccolo testo d’ispirazione fiabesca – denso di  importanti contenuti di riflessione sul mondo e sulla vita – si trovano con facilità riferimenti filosofici e metafisici diretti, quasi obbligati, come si può puntualmente verificare nel caso dello scritto in questione, che potrebbe anche definirsi una “favola esistenziale”.

(Alfredo Tagliavia)

Entrando nas páginas dessa fábula lúdico-adulta, o leitor concordará, talvez, em pensar que a filosofia está em casa na escrita da brasileira Patricia Gonçalves Tenório.

Não sempre, em um pequeno texto de inspiração fabulista – cheio de conteúdos e reflexões importantes sobre o mundo e a vida – se acham com facilidade referências filosóficas e metafísicas diretas, quase obrigatórias, como pontualmente pode-se verificar no caso do livro em questão, que poderia se definir também uma “fábula existencial”.

(Alfredo Tagliavia)

_________________________________

* Patricia (Gonçalves) Tenório escreve prosa e poesia desde 2004. Tem dez livros publicados, O major – eterno é o espírito (2005), As joaninhas não mentem (2006), Grãos (2007), A mulher pela metade (2009), Diálogos e D´Agostinho (2010), Como se Ícaro falasse (2012),  Fără nume/Sans nom (Ars Longa, Romênia, 2013), Vinte e um/Veintiuno (Mundi Book, Espanha, abril, 2016), e A menina do olho verde (livros físico e virtual, Recife e Porto Alegre, maio e junho, 2016), traduzido para o italiano por Alfredo Tagliavia, La bambina dagli occhi verdi, publicado em setembro, 2016 pela editora IPOC – Italian Paths of Culture, de Milão.  Defendeu em 17 de setembro de 2015 a dissertação de mestrado em Teoria da Literatura, linha de pesquisa Intersemiose, na Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, “O retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde: um romance indicial, agostiniano e prefigural”, com o anexo o ensaio romanceado O desaprendiz de estórias (Notas para uma Teoria da Ficção), sob a orientação da Profª Dra. Maria do Carmo de Siqueira Nino, a ser publicada em outubro de 2016 pela editora Omni Scriptum GmbH & Co. KG / Novas Edições Acadêmicas, Saarbrücken, Alemanha. Contatos: patriciatenorio@uol.com.br e www.patriciatenorio.com.br