Les Cahiers de Val-David | Participation de Patricia Tenório avec “Punctum”

coperta fff final_cover_logo4 ultima

 

Punctum*

Patricia Tenório**

07/06/12

 

O punctum

No meio do mundo

Mordeu minha língua

Extravasou

Meu ser imundo

Lavou-me a alma

Aquietou a calma crescente

De solidão

E dor

 

Queria ser

Aquele ponto

Onde tudo começou

Mudar o destino

Da minha humanidade

Da mãe

Do pai

Dos meus irmãos

Fazendo-nos ser

Família

Fazendo-nos ser

Respeito

Fazendo-nos ser

União

 

O punctum

No meio do mundo

Nunca mais será o mesmo

Nunca mais verei o mar

Tombar os braços nos meus braços

Enxugar as lágrimas de sal

Em ondas no meu rosto

Inundar o peito

De esperança

E cor

 

Para dar luz

A uma nova era

Sem laços

Sem fronteiras

Sem guerras

Nem religiões

Deus passando por mim agora

Fez tudo isso

E disse que era bom

 

_____________________________

* Segundo Roland Barthes em A câmara clara ((1980) em 2011, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, p. 36), o “punctum de uma foto é esse acaso que, nela, me punge (mas também me mortifica, me fere)”.

** www.patriciatenorio.com.br e patriciatenorio@uol.com.br

_____________________________

 

Punctum*

Patricia Tenório**

05/24/13

 

The punctum

In the middle of the world

Has bit my tongue

Overflowed

My unclean being

Washed my soul

Quieted my growing calm

Of solitude

And pain

 

I’d like to be

That point

Where everything started

Change the fate

Of my humanity

From mother

From father

My brothers

Making us being

Family

Making us being

Respect

Making us being

Union

 

The punctum

In the middle of the world

Never more it’ll be the same

Never more I’ll see the sea

Topple its arms into my arms

Wipe the tears of salt

In waves on my face

Flooding the chest

Of hope

And color

 

To give light

To a new era

Without ties

Without borders

No wars

Neither religions

God passing through me right now

He did all of this

And said it was good

 

_____________________________

* Acording to Roland Barthes in The clear camera ((1980) in 2011, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, p. 36), the “punctum of  a photograpy is this coincidence that, in it, stings me (but that also mortifies me, hurts me)”.

** www.patriciatenorio.com.br and patriciatenorio@uol.com.br