Poemas Postais | O Poeta de Meia-Tigela

digitalizar0003

 

MIRABILIA. MIRAÇÃO

 

Para Analou Benjamin

 

Você me sorri pássaros Me diz

Bálsamos e crisântemos Me ensina

Relâmpagos Me faz sonho raiz

Plantada em nuvem Sândalo neblina

Me transpira poemas tal Hafiz

Me esculpe a face em luz ou vento Assina

Na minh’alma com tinta d’água giz

Assobia azuis sombras opalinas

Me leva a passear em seus quadris

Me perfumam seus olhos Me calcina

Sua presença seu ventre-motriz

Você me voceíza predestina

Me comunga me Francisca de Assis

Me sana milagra desassassina

(Do livro de Sonetos MIRAVILHA

 poetademeiatigela@yahoo.com.br)

digitalizar0004

O POETASSILGO

 

O poeta, o que ele é? Uma andorinha.

Parente da cigarra, descendente

da flauta, do trovão, da fontainha.

O poeta é o quê? Som virado gente.

O poeta? Invenção da Carochinha.

História de Trancoso, pretendente

com Dom Ratão à mão da Baratinha.

O poeta é o quê? Cérebro que sente.

Sente dó do diabo e se avizinha

do solitário asceta da montanha.

Convida o Barba Azul prima festinha.

Poeta? Abraça o cacto, acarinha

baiacu, porco-espinho, ouriço, amanha-os.

O poeta, o que ele é? Uma avezinha.

(Do livro de Sonetos MIRAVILHA

 poetademeiatigela@yahoo.com.br)