Poemas* de Stella Leonardos

A Luiza, Quatro Séculos Depois

 

 

E das páginas relidas

ressurges, Luzia linda,

coração mais lindo ainda

nessa tua vida linda

nas terras do Maranhão.

 

E tudo, Luzia, vindo,

tudo lindo que pervaga

nos céus, praias, matas, chão,

são pássaros lindos, livres,

sonhos são da liberdade

que almou, Luzia, teu sonho

e o sonhar do Bequimão.

 

 

Não Perguntes de Onde Venho

 

 

Foi no sítio de Luzia.

 

Reapareceu aquele homem.

O mesmo que a visitara.

E os olhos tinham mais lume

e a voz ressoava mais clara.

 

Veio e disse claramente

num rasgo de emoção rara:

 

– Não perguntes de onde venho.

Sei que vim para conhecer-te

e bem amar-te, mulher!

Não me trates como estranho

que sou teu desde as entranhas

de mistério do universo.

 

 

Na Ronda dos que Pressentem

 

 

Na ronda dos que pressentem

traições trágicas conspiram.

 

Que mau fado nos condena

a descrer de bens possíveis?

 

Que mau fado nos condena

a crer n’almas impassíveis?

 

Que mau fado nos condena

a temer tredos desígnios?

 

Que mau fado nos condena

a fugir de atros sigilos?

 

Na ronda dos que pressentem

condenações que vigilam.

 

 

O Grito

 

 

Aquele grito. Houve sim

aquela viva coragem

dilacerando o silêncio,

frenteando o mundo carrasco.

 

A angústia cerrava os punhos.

A raiva mordia os lábios.

A tristeza se encolhia

chorando por dentro as lágrimas.

 

E dizem que quando o herói

mirou seu povo de pé

em torno à forca medrosa

pareceu mais baixo o céu

e de mais altura a terra.

 

Ah dor do sem fim, que esmaga,

raiz ceifada do solo!

 

Houve um grito de mulher.

Houve aquele grito insólito:

 

– Ninguém assassina o sol!

 

 

Ali Sob Aquele Sol

 

 

Ali sob aquele sol

uns mal creram no que viam:

que, mais que viam, sentiam

o cavaleiro a cavalo

estatuado à luz do dia.

 

E ao sol de ardor insurgente

efígie de desafio.

 

_________________________________

* Extraídos de Memorial de Luzia (do Bequimão), Stella Leonardos. São Luís: Editora Legenda, 2013. Contato através de Márcia Barroca: mbarroca10@gmail.com