Misto Códice* | Paulo de Tarso Correia de Melo**

 

Invocação

 

Permite que se adornem

e como águias e tigres

os guerreiros se portem.

 

Concede-lhes que desfrutem,

a fio de cristal,

a doçura da morte,

 

que dêem regozijo

em seu coração

ao punhal do sacrifício

 

e a morte florida,

mariposa de obsidiana,

desejem e cobicem.

 

 

Canções do jardim da casa de Deus

 

Agora mesmo, no poente

as frutas

e o feijão branco

estão amarrados pelo relâmpago

 

Agora mesmo, no poente

a verdura

e o milho trigo

estão amarrados pelo arco-íris

 

Vem perto a chuva

Ouça as vozes felizes

da água cercando as raízes

plantadas em nuvem escura

(…)

 

 

Misto Códice

 

A príncipes e guerreiros

falavam  poeta

de flores, aves e gemas.

 

Com três imagens

se fazia esta

poesia, e um tema:

 

a brevidade da vida

e a incerteza

da permanência de poema.

 

Orquídeas roçagavam

na floresta

peitos viris e coxas morenas

 

Pouco durava

a sensual

festa,

a juventude, apenas.

 

* Textos extraídos de Misto Códice, Editora Sarau das Letras – RN, 2012.

** Paulo de Tarso Correia de Melo é poeta, ensaísta e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Contato através de Clauder Arcanjo: clauderarcanjo@gmail.com