Eva* e Preâmbluas** – Patricia Tenório & O Mundo – I

 

Eva

 

12/03/2011

  

A carapaça me serviu de escudo

E cada gota do ser

Seria uma forma de

Saber

Beber

A água das grandes tempestades

 

Caiu a máscara

Vesti o luto

De alguém

Que lá atrás na história

Lá onde o vento soprou

Pela primeira hora da manhã

Acendeu o fogo

Brilhou os olhos

Chamuscou lampejo

 

Medo de não encontrar

Um dia

Um ano

Mil vidas

A quem tanto busco

Nos sonhos

Nos livros

Nos rostos

Dos meus semelhantes

Tão semelhantes a mim

Que um espelho

Partiu-se em dois

 

E eu nasci

 

 

Eva

Traduzione: Patricia Tenório

Revizione: Marisa Brun***

12/03/2011

 

La corazza mi è servita di scudo

Ed ogni goccia dell’essere

Sarebbe un modo di

Sapere

Bere

L´acqua delle grandi tempeste

 

È caduta la maschera

Ho vestito il lutto

Di qualcuno

Che là dietro nella storia

Là dove il vento ha soffiato

Nella prim´ora della mattina

Ha acceso il fuoco

Ha reso gli ochi brillanti

Ha bruciato un baleno

 

Paura di non trovare  

Un giorno

Un anno

Mille vite

Chi tanto cerco

Nei sogni

Nei libri

Nelle facce

Dei miei simili

Così simili a me

Che uno specchio

Si è spezzato in due

 

Ed io sono nata

 

Preâmbluas

17/03/2011

 

A lua está

Entre a força do dragão

E o brilho da estrela

 

Passiva irá

Ascender nas vésperas

Simples, mortal

Para dourada

Nascer

Crescer

Multiplicar-se

Em morte

 

Morte das estrelas

Morte das canções

E a noite inteira

Ninar

Patricia para aqui

Patricia para lá

 

Até amanhecer em mim

O que em mim

Não há

 

Preamblunes

Traduzione: Patricia Tenório

Revizione: Marisa Brun***

17/03/2011

 

La luna è

Tra la forza di un drago

Ed il lume d´una stella

 

Passiva

Ascenderà nelle vigilie

Semplice, mortale

Per dorata

Nascere

Crescere

Moltiplicarsi

In morte

 

Morte delle stelle

Morte delle canzoni

E la notte intera

Ninnare

Patricia di qua

Patricia di là

 

Fino ad albeggiare in me

Ciò che in me

Non c`è

__________________________

* Poesia selecionada para a IV Antologia de Poetas Lusófonos, Leiria – Portugal, Dezembro de 2011 e através do V Concurso Crônica e Literatura: prêmio Ferreira Gullar (MG – Brasil) é também selecionada para a publicação Emoção Repentina, Vol. III – Outono, no prelo, a ser lançada em Fevereiro de 2012. 

** Poesia selecionada para a IV Antologia de Poetas Lusófonos, Leiria – Portugal, Dezembro de 2011.

*** Marisa Brun é professora do Instituto Dante Alighieri – Recife – PE. Contato: marisa_brun@libero.it