Su “Grãos”* – Alfredo Tagliavia**

 

14/03/11

 

I suoi racconti mi sono sembrati come piccole gocce di luce che illuminano il buio di una società infima, piena di preconcetti e di limitazioni.

I protagonisti appaiono come vittime di questa società, ma allo stesso tempo anche come persone capaci di ribellarsi e di liberarsi, di scegliere la propria strada su percorsi di vita sempre incerti e zoppicanti, quasi fossero appesi a un filo.

Questo è l’aspetto di “Grãos” che più mi ha colpito, il suo essere un contrappunto continuo fra buio e chiarore, luce e ombra, fra “luminoso” e “precario”, due elementi esistenziali tipici della cultura del Nordeste e del Brasile (ma oggi forse di tutta la società globalizzata).

Ma, alla fine della lettura, si rimane con l’impressione che le possibilità di salvezza e redenzione dell’essere umano siano sempre un po’ più alte, rispetto alle inquietanti ombre che minacciano la sua esistenza. 

 

Sobre Grãos – Alfredo Tagliavia

14/03/11

Tradução: Patricia Tenório

 

Seus contos me lembram pequenas gotas de luz que iluminam a escuridão de uma sociedade ínfima, cheia de preconceitos e limitações.

Os protagonistas aparecem como vítimas desta sociedade, mas ao mesmo tempo também como pessoas capazes de rebelar-se e liberar-se, de escolher a própria estrada sobre percursos de vida sempre incertos e defeituosos, tal estivessem penduradas por um fio.

Este é o aspecto de Grãos que mais me atingiu, o seu ser um contraponto contínuo entre o escuro e o clarão, luz e sombra, entre “luminoso” e “precario”, dois elementos existenciais típicos da cultura do Nordeste e do Brasil (mas hoje talvez de toda sociedade globalizada).

Mas, no final da leitura, se permanece com a impressão que as possibilidades de salvação e redenção do ser humano são sempre um pouco mais altas, em respeito às inquietantes sombras que ameaçam a existência. 

___________________________

* Grãos, Patricia Tenório, 2007, Editora Calibán

**Alfredo Tagliavia è nato a Roma nel 1978.

   Dottore di ricerca in Pedagogia presso l’Università degli Studi Roma Tre con una tesi sull’educatore e filosofo brasiliano Paulo Freire, ha trascorso diversi periodi a Recife (Brasile), dove ha collaborato con il Movimento per l’Interscambio Italia-Brasile dell’Università Federale del Pernambuco (UFPE), il Centro Studi Paulo Freire e l’Istituto Dante Alighieri, partecipando anche alle iniziative culturali del Consolato d’Italia. Ha recentemente pubblicato il libro L’eredità di Paulo Freire (EMI, Bologna 2011), oltre a diversi articoli e recensioni a tema pedagogico su riviste specialistiche e traduzioni dal portoghese di pubblicazioni nell’area delle Scienze sociali.

Alfredo Tagliavia nasceu em Roma em 1978.

   Doutor de pesquisa em Pedagogia pela Universidade de Estudos Roma Tre com tese sobre o educador e filósofo brasileiro Paulo Freire, passou vários períodos em Recife (Brasil), onde colaborou com o Movimento pelo Intercâmbio Itália-Brasil da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Centro de Estudos Paulo Freire e o Instituto Dante Alighieri, participando também das iniciativas culturais do Consulado da Itália. Recentemente publicou o livro L’eredità di Paulo Freire (O legado de Paulo Freire) (EMI, Bologna 2011), bem como diversos artigos e comentários de tema pedagógico em revistas especializadas e traduções do Português de publicações na área de Ciências Sociais.

alftag@inwind.it