Posts com

Índex* – Agosto, 2012

  

Algun día 

en cualquier parte 

indefectiblemente, 

has de encontrarte contigo mismo 

y solo de ti depende, 

que sea tu momento mejor 

o la más amarga de tus horas. 

(M. de Combi) 

  

Algum dia 

em qualquer lugar 

infalivelmente, 

terás de encontrar-te contigo mesmo 

e só de ti depende, 

que seja o teu melhor momento 

ou a mais amarga de tuas horas. 

(M. de Combi)

 

O encontro consigo mesmo no Índex de Agosto no Blog de Patricia Tenório

Porque… O que não mata nos torna mais fortesPatricia Tenório. 

Um convite do outro lado do oceano… Lançamento de Diálogos e D´Agostinho de Patricia Tenório na Biblioteca Municipal de Abrantes – Portugal

O caríssimo Prof. Fábio Lucas nos convida para o lançamento de Peregrinações Amazônicas.

Uma homenagem a Selmo Vasconcellos, o grande incentivador das artes e artistas, com o seu Luar

Versos livres de Shirley Lima e André Farias

Um Vídeo de Bernadete Bruto

Carlos Ferrera nos convida para o seu Curso de voz

E o link para o Blog de Carol Bradley, Um conto por dia (www.umcontopordia.com.br). 

Agradeço a todos que enviaram textos, convites, links… Continuem participando! 

A próxima postagem será no dia 23 de Setembro

Até logo! 

Patricia Tenório. 

______________________ 

Index* – August, 2012 

Someday 

anywhere 

infallibly 

you have to find yourself with yourself 

and depends only on you,

that is your best moment

or the most bitter of your hours.

(M. de Combi)

 

The encounter with oneself in the Index of the blog of Patricia Tenório

Because… O que não mata nos torna mais fortes (What doesn´t kill make you stronger) – Patricia Tenório

An invitation from the other side of the ocean… The launching of Diálogos (Dialogues) and D’Agostinho (D’Augustine) from Patricia Tenório at Biblioteca Municipal de Abrantes – Portugal (Municipal Library of Abrantes – Portugal). 

The dearest Teacher Fábio Lucas invites us to the launching of Peregrinações Amazônicas (Amazonic Pilgrimages).

A tribute to Selmo Vasconcellos, a great supporter of the arts and artists, with his Luar (Moonlight). 

Versos livres (Free verses) from Shirley Lima and André Farias

A Video from Bernadete Bruno.

Carlos Ferrera invites us for his Curso de voz (Voice Workshop).

And the link to the Blog of Carol Bradley, Um conto por dia (One short story a day) (www.umcontopordia.com.br). 

Thanks to everyone who sent texts, invitations, links… Continue to participate!

The next post will be on September 23.

See you soon!

Patricia Tenório.

 

**

_________________________

* Índex foi traduzido apenas para o inglês por uma questão de extensão do post.

* Index was translated into English only as a matter of the extension of the post.

** Uma janela da alma – Recife – PE – Brasil. One window of the soul  – Recife – PE – Brasil.

O que não mata nos torna mais fortes | Patricia Tenório*

17/08/12

 

Na camada

Mais fora de mim

Sinto-me seca

Sinto-me espessa

Mas não

Sinto o corpo nem

Os dedos da mão

 

Que você aperta

Até sair a dor

A dor que estava presa

Na camada

Mais dentro de mim

Lá onde não chego

Lá onde não alcanço

E não me reconheço

 

Então vêm os seus olhos

Vem sua música

De fortaleza

Os olhos da cor do mar

Farol do forte

Que me ilumina

Que me conduz

 

Para fora de mim

Salva o dentro de mim

Que está perdido

Que não foi ainda chorado

E não foi ainda lavado

Pelas lágrimas invisíveis

Da minha dor

 

Porque o que não mata

Nos torna mais fortes

Disse uma vez o poeta

O filósofo

Aquele que sente

Aquele que chora

Aquele que vê

Nos seus olhos

Um caminho de salvação

 

Friedrich Nietzsche

(1844-1900)

___________________

* Contatos: www.patriciatenorio.com.br e patriciatenorio@uol.com.br

Convite | Patricia Tenório

 

         É com imenso prazer que convido a todos para o lançamento dos livros de contos Diálogos e de poemas D´Agostinho da escritora brasileira Patricia Tenório na Biblioteca Municipal António Botto de Abrantes – Portugal.

         Na ocasião serão apresentadas poesias de D´Agostinho gravadas pelos cantores brasileiros Karynna Spinelli e Carlos Ferrera e projetados três contos adaptados para o cinema extraídos de Diálogos.

Local: Biblioteca Municipal António Botto de Abrantes

Endereço: Convento de S. Domingos- Abrantes

Data: 10/08/12

Horário: 18h00

Informações: 241 379 990

Convite | Fábio Lucas*

 

LETRASELVAGEM e ACADEMIA PAULISTA DE LETRAS convidam para o lançamento do livro “PEREGRINAÇÕES AMAZÔNICAS – HISTÓRIA, MITOLOGIA, LITERATURA”, de FÁBIO LUCAS.

LOCAL: Átrio da Academia Paulista de Letras (APL) – Largo do Arouche, 324 – São Paulo / SP / Brasil.
DATA: 30 / agosto / 2012 (quinta-feira), a partir das 18h30 horas.

 

O LIVRO

 

A “realidade amazônica” desponta, neste livro de Fábio Lucas, autêntica e íntegra, como relembrança de uma “viagem” mais sentimental do que geográfica. Não mais o olhar alienígena – autossuficiente, arrogante e muitas vezes deformador – do naturalista, aventureiro ou “turista”, que insistia em afirmar que a Amazônia era apenas um espaço vazio e acéfalo, infestado de insetos, répteis e índios indignos de continuarem vivos.

Em suas “peregrinações”, Fábio Lucas escutou (e “eufonizou”, como diria Abguar Bastos, o paraense que propagou o Modernismo na Amazônia) as melhores vozes deste Brasil das catedralescas florestas e de uma malha fluvial com cerca de 4.000 rios; um Brasil muito falado e ainda tão pouco conhecido, embora represente 60% do território brasileiro; um Brasil que gera “preocupação” e desperta a cobiça nacional e estrangeira.

A Amazônia aguardava um livro como este de Fábio Lucas, que a interpretasse com senso crítico e sensibilidade, lançando luzes sobre questões mal-resolvidas. O estilo “grandíloquo e aliciante” de Euclides da Cunha, que ainda causa perplexidade em muitos, não paralisou o pensador social, o crítico literário meticuloso, que não titubeia em apontar-lhe os acertos – como, por exemplo, a atitude crítico-assimilativa que Euclides utilizou, “sem passividade e sem basbaquice”, em face da ciência estrangeira (p.68). Mas também mostra os erros, como o de considerar o sertanejo uma “sub-raça”, o negro e o índio “raças primitivas” e o cruzamento étnico “um desastre genético” (p.65).

Fábio Lucas observa que, não raro, o contexto de uma natureza física “grandíloqua e majestática” termina por invadir o texto da maior parte dos que se atrevem a movimentar personagens no cenário amazônico.

Com um olhar seletivo sobre o que já se pensou e escreveu “na” e “sobre” a Amazônia, Fábio Lucas estabelece um roteiro seguro e indispensável para quem quiser tomar posse do conhecimento existencial e filosófico dessa outra Amazônia que o Brasil e o mundo desconhecem – uma Amazônia pensante, sensível, inteligente, representada por escritores, poetas, ficcionistas, historiadores, sociólogos e filósofos de grande valor, como João de Jesus Paes Loureiro, Olga Savary, Thiago de Mello, Jorge Tufic, Astrid Cabral, Aníbal Beça, Age de Carvalho, Márcio Souza, Ferreira de Castro, Abguar Bastos, Inglez de Souza, Dalcídio Jurandir, Benedicto Monteiro, Leandro Tocantins, José Veríssimo, Arthur Cezar Ferreira Reis, Benedito Nunes… e tantos outros nomes significativos que passam pelas páginas deste livro imprescindível.

Fábio Lucas também amplia e enriquece o painel das ‘letras amazônicas’, tornando-o ainda mais representativo, ao incluir no seu campo de análise as obras de Ferreira Gullar e Nauro Machado, dois ícones da poesia do Maranhão, Estado situado em zona de transição entre o Norte e o Nordeste brasileiros, e que, histórica e geograficamente, mantém fortes vínculos com a Amazônia.


O AUTOR

Fábio Lucas nasceu em Esmeraldas (MG), no dia 27 de julho de 1931. Professor, ensaísta, tradutor, crítico e teórico da Literatura, lecionou em seis universidades norte-americanas, cinco universidades brasileiras e uma portuguesa. Dirigiu o Instituto Nacional do Livro em Brasília, bem como a Faculdade Paulistana de Ciências e Letras. É autor de mais de 50 obras de crítica e ciências sociais. É considerado um dos mais importantes críticos e conferencistas internacionais da Literatura Brasileira.

Em seu discurso de posse na Academia Mineira de Letras, em 19 de outubro de 1961, disse: “O livro é o objeto de quase todas as horas de que disponho”. Com tal paixão tornou-se um dos principais membros da geração literária mineira que fundou, em Belo Horizonte, as revistas “Vocação” (1951) e “Tendência” (1957), em cujas equipes participaram o poeta Affonso Ávila e o romancista Rui Mourão.

Em 1953, Fábio Lucas graduou-se em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais, e, em 1963, concluiu doutorado em Direito Público, em Economia e História das Doutrinas Econômicas pela Fafich/UFMG. Na mesma Universidade, tornou-se professor de Teoria da Renda e Repartição da Renda Social na Faculdade de Ciências Econômicas, em que teve mestres como Emílio Moura e Francisco Iglésias como colega, sofrendo perseguições durante os sombrios anos da ditadura militar (1964-1975), quando lhe retiram a cadeira em que lecionava, o que o obriga a partir para o exterior.

Em sua extensa produção, destacam-se: Poesia e prosa no Brasil: Clarice, Gonzaga, Machado e Murilo Mendes (1976), Vanguarda, História e ideologia da literatura (1985), Fontes literárias portuguesas (1991), Do barroco ao moderno (1989), Mineiranças (1991), Cartas a Mário de Andrade (1993), Jorge de Lima e Ferreira Gullar, o longe e o perto (1995), Luzes e Trevas, Minas Gerais no séc. XVIII (1998), Murilo Mendes, poeta e prosador (2001), Literatura e comunicação na era da eletrônica (2001), Expressões da identidade brasileira (2002), O poeta e a mídia: Carlos Drummond de Andrade e João Cabral de Melo (2004), O poliedro da crítica (2009), O centro e a periferia de Machado de Assis (2010), Ficções de Guimarães Rosa: perspectivas (2011). Na ficção, produziu o romance A mais bela história do mundo (1996). Com O caráter social da literatura brasileira (Paz e Terra, 1970) conquistou o Prêmio Jabuti de Literatura, no setor “Estudos Brasileiros”, concedido pela Câmara Brasileira Livro. (Obs: O caráter social da literatura brasileira oferece um roteiro ímpar, seguro e obrigatório, para quem busca os melhores caminhos na brumosa seara das narrativas de cunho social no Brasil). Razão e emoção literária recebeu o Prêmio Crítica, “Os Melhores do Ano de 1982”, da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). Em 1992, Fábio Lucas ganhou o Prêmio Juca Pato, como Intelectual do Ano, concedido pela União Brasileira de Escritores, juntamente com o jornal “Folha de São Paulo”. Em 2006 obteve o Prêmio Conrado Wessel na área de Literatura.

Quando da comemoração de seu aniversário, em 1997, em homenagem prestada pela grande imprensa de Minas Gerais, o escritor e jornalista Roberto Drummond definiu Fábio Lucas como o que há de melhor na Crítica no Brasil, ao lado de Antonio Candido e de Wilson Martins.

Acrescente-se que o compromisso do crítico Fábio Lucas, ao longo de seis décadas de intensa militância intelectual, estendeu-se  para o campo das lutas cívicas. Todas as vezes em que a liberdade de organização e de expressão do pensamento esteve ameaçada, Fábio Lucas repudiou publicamente o autoritarismo.

Em 1984, por exemplo, participou do movimento político que exigia a redemocratização do Brasil. Como presidente, por cinco vezes, da União Brasileira de Escritores (UBE-SP), Fábio Lucas manteve a independência da instituição frente aos setores do livro ligados ao “mercado”, bem como resistiu às pressões do Estado – quer o Estado totalitário, implantado pelos militares em 1964, quer o Estado “democrático” que se lhe seguiu, o qual, já não com as armas impopulares da ditadura, mas com o emprego “simpático” (e legal!) do dinheiro público, tem aliciado e silenciado consciências.

Vice-Presidente da primeira Diretoria da Associação Brasileira de Direitos Repográficos (ABDR) como representante dos escritores, notabilizou-se pelo combate à pirataria e à fraude ao direito autoral. Foi membro titular do Conselho Nacional de Direito Autoral (CNDA) de 1989 a 1991.

Organizou, em 1985, o Congresso Internacional de Escritores do Brasil, em São Paulo, com a presença de 1200 escritores. Esteve, em 1995, na organização do primeiro Congresso de Escritores do interior de São Paulo. Também, em 1995, participou da organização do Congresso de Escritores do Mercosul.

Mais recentemente, Fábio Lucas presidiu a comissão de escritores que redigiu o Manifesto dos Escritores Brasileiros, que resultou das discussões, análises e deliberações do Congresso Brasileiro de Escritores, que se realizou de 12 a 15 de novembro de 2011, na cidade de Ribeirão Preto (SP).

Saindo da pequena Esmeraldas, Fábio Lucas soube conquistar – com trabalho, inteligência e a notória “prudência mineira” – todos os lugares por onde foi passando, até fixar-se na cosmopolita São Paulo, que acolheu a este ilustre mineiro e concedeu-lhe assento na Cadeira 27 da Academia Paulista de Letras (APL).

____________________________

* Enviado pelo Prof. Fábio Lucas: professorfabiolucas@gmail.com

Il Convivio* – Aprile – Maggio 2012

 

Al giovane

di Giuseppe Di Salvo

 

Svegliati Giovane

e allunga la vista

oltre la siepe.

Le splendide idee

non imprigionare,

perché altre mete

devi cercare.

L´aquila vola

sulle vette innevate

e fugge sempre

dalle nere paludi.

Anche tu,

spicca il volo

e mira deciso

a grandi traguardi.

Abbi coraggio

e trascura i dettagli.

Non ascoltare le beghe locali,

i freni d´amore

e le ciance

delle comari.

Raggiungi

Nuovi orizzonti

e indietro,

più non tornare.

 

Lacrima di madre

di Tullio Perilli

 

Una furtiva lacrima

scende dal suo viso

come un fiore

triste e abbandonato.

 

Nel dolore di madre

lei cerca di nascondere

la tristezza della vita

nel suo cuore buono e infinito.

 

Triste è il suo viso

amareggiata l´anima,

disperatamente angosciata

dai problemi suoi quotidiani.

 

La sua lacrima si perde

in un mare di dolore

per mancanza d´affetto

e di tenero amore.

Quell’amore che manca tra

madre e figlio, porta nel cuore

un profondo scompiglio.

 

Chi è una madre…?

Chi è un figlio…?

Tutto o niente,

senza l’amore che lo sigilla.

 

Vivere nell’attesa

di Irene Caterinaki Bruno

 

Vivere nell’attesa

di un silenzio interminabile

è come vivere

una gelida notte invernale.

Tra frane e macerie

della vita crudele

si aggiunge il dolore

della lontananza.

Vivere nel silenzio

è rinuncia della voce cara

suono soave dell’adorato amore,

anche dove i sordi ascoltano

tramite le vibrazioni.

Talvolta saldi legami sono

capaci di lenire

la solitudine del cuore

e la perfida distanza.

Il silenzio racconta

quel che le parole celano

e la muta preghiera

va direttamente al cuore

dell’ALTISSIMO.   

_______________________

* www.ilconvivio.org

Luar* | Selmo Vasconcellos**

 

Luar
Luar
Luar
É belo em qualquer
LUGAR.

Lugar
Lugar
Lugar
É belo em qualquer
LUAR.

***

____________________

* Uma homenagem a Selmo Vasconcellos que a tantos divulga e incentiva. Extraído do Facebook do autor.

** Contato: vasconcelloselmo@hotmail.com

*** “Lua” extraída do espetáculo “As joaninhas não mentem” (Junho/2011). Captação de imagens: Lucas Cavalcanti e Thiago França.

Versos livres | Shirley Lima* e André Farias

 

ANDRÉ Amor completa-se como uma linda música composta de uma bela poesia, isso sim é sintonia.

SHIRLEY – Sintonia que preenche o meu dia como uma bela canção da banda mais preciosa do mundo, aliada ao compasso dos gestos mais nobres de cada abraço num instante em que este interliga aos batimentos cardíacos, por entre as veias das poesias que trafegam pelas páginas dos livros que abrigam as rimas e os…

ANDRÉ …versos livres, os quais adoram voar, encantam e por vezes ferem.

SHIRLEY – Voam…                                                                                              

Feito aves que sintonizam com as tardes nubladas e banham-se com as lágrimas das nuvens em dias de inverno; trazendo uma moldura poética para a atmosfera, completando os primeiros acordes da chuva, entre as rimas do canto dos bem-te-vis e dos versos livres dos poetas que trafegam entre imagens, canções e um olhar atento à natureza e, principalmente, ao amor que se completa como uma linda música composta de uma bela poesia, isso sim é sintonia.  

_______________________

* Enviado por Shirley Lima. Contato: shirleypessego@hotmail.com

Vídeo | Bernadete Bruto*

 

httpv://www.youtube.com/watch?v=_njJCk4YNIQ&feature=youtu.be

_______________________

* Vídeo enviado pela artista.

Contato: www.bernadetebruto.com e bernadete.bruto@gmail.com

Curso de voz | Carlos Ferrera*

 

DE 04 DE SETEMBRO A 06 DE NOVEMBRO, ESTAREI MINISTRANDO O PRIMEIRO MÓDULO DE UM CURSO DE VOZ (INICIANTE/ TURMA MISTA) COM DURAÇÃO DE 02 (DOIS) MESES, SEMPRE ÀS TERÇAS E QUINTAS (DAS 19:00 ÀS 22:00 HORAS).

DURANTE ESSE PERÍODO ABORDAREMOS TEORIAS E PRÁTICAS ACERCA DO TRABALHO VOCAL NA MÚSICA E NO TEATRO, FRUTOS DA MINHA ATUAÇÃO COMO CANTOR, ATOR, LOCUTOR E PREPARADOR DE ELENCO.

VAGAS: 15
INVESTIMENTO MENSAL: 120,00

LOCAL: ESPAÇO CANTO

RUA VIGÁRIO TENÓRIO, EDIFÍCIO ÁLVARO SILVA OLIVEIRA, 199, 3° ANDAR – RECIFE ANTIGO

INSCREVA-SE JÁ, DEIXANDO OS SEUS CONTATOS, PELO E-MAIL: cursodevozcarlosferrera@yahoo.com.br

_____________________

* Enviado por Carlos Ferrera: cferrera_ferrera@yahoo.com.br