Posts com Poesia

Índex* – Dezembro, 2019

Foram derrubados os muros da cidade

o Muro Alto

não existia mais.

 Plantaram jardins conjuntos,

 escreveram livros

 para uns aos outros ler.

 Era bom aquele começo,

 com a esperança no coração.

[“A cidade universitária”, A menina do olho verde em 7 por 11, Patricia Gonçalves Tenório, (2016 in) 2019]

Se eu fosse um

Passarinho

Esqueceria as

Folhas mortas

Do passado

Arrancaria as

Ervas daninhas

Do presente

E passearia

Suavemente

No céu azul

 

Mas como

Não sou um

Passarinho

Vivo à cata

De migalhas

Vivo em busca

De palavras

Assim

Pequenininhas

Que possam

Traduzir

Por um segundo

A imensidão

De eternidade

Presa aqui

No meu peito

 

[“Quem escreve não se cansa de buscar” em 14, Patricia Gonçalves Tenório, (2016 in) 2019]

Muros derrubados na imensidão da eternidade do Índex de Dezembro, 2019 no blog de Patricia Gonçalves Tenório.

Os outros | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil).

A história por trás de Recife Assombrado: o filme | Adriano Portela (PE – Brasil).

“Missa” em Encantamentos | Ana Paula Braz de Almeida Cavalcanti (PE – Brasil).

Os cadernos de solidão de Mario Lavale | Arthur Telló (RS – Brasil).

Lauren | Irka Barrios (RS – Brasil).

Numa rua perto do centro | Paulo Caldas (PE – Brasil).

O não-lugar em Elizabeth Bishop | Tiago Silva (PB/SE – Brasil).

E o link do mês com Márcia Feitosa (SP/PE – Brasil) na Revista Conexão Literatura:  http://www.revistaconexaoliteratura.com.br/2019/12/o-mes-de-dezembro-chegou-com-nova.html

Desejo um Natal e um 2020 cheio de Paz, Saúde, Luz, Sonhos, Amor, Alegria, Literatura & Poesia, a próxima postagem será em 26 de Janeiro de 2020, grande abraço e até lá,

 

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

Index* – December, 2019

The city walls were torn down

the High Wall

no longer exists.

 They planted joint gardens,

 wrote books

 for each other to read.

 It was good that beginning,

 with hope in the heart.

[“The University City”, The Green Eye Girl at 7 by 11, Patricia Gonçalves Tenório, (2016 in) 2019]

If I were one

birdie

I would forget the

Dead leaves

From the past

I would tear

Weeds

Of the present

And would fly

Gently

In the blue sky

 

But because

I’m not one

birdie

I live looking for

Crumbs

I live in search

Of words

Like this

Little ones

That can

Translate

For a second

The immensity

Of eternity

Stuck here

In my chest

[“Whoever writes never tires of searching” in 14, Patricia Gonçalves Tenório, (2016 in) 2019]

Walls collapsed in the immensity of eternity of the December, 2019 Index in Patricia Gonçalves Tenório’s blog.

The others | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil).

The Story Behind Haunted Recife: The Movie | Adriano Portela (PE – Brasil).

“Mass” in Enchantments | Ana Paula Braz de Almeida Cavalcanti (PE – Brasil).

Mario Lavale’s notebooks of solitude | Arthur Telló (RS – Brasil).

Lauren | Irka Barrios (RS – Brasil).

In a street near the center | Paulo Caldas (PE – Brasil).

The Non-Place in Elizabeth Bishop | Tiago Silva (PB/SE – Brasil).

And the link of the month with Marcia Feitosa (SP/PE – Brasil) in the Connection Literature Magazine: http://www.revistaconexaoliteratura.com.br/2019/12/o-mes-de-dezembro-chegou-com-nova.html

I wish a Christmas and a 2020 full of Peace, Health, Light, Dreams, Love, Joy, Literature & Poetry, the next post will be on January 26, 2020, big hug and until then,

 

Patricia Gonçalves Tenório.

  

____________________________________________

**

____________________________________________

* Índex foi traduzido (a maior parte) apenas para o inglês por uma questão de extensão do post.

* Index was translated (most of it) into English only as a matter of the extension of the post.

** Apresentações de amigos tão especiais da Coleção Cinco Livros: em Recife (21/11/2019) com Bernadete Bruto, Dinaldo Lessa, Elba Lins, Raldianny Pereira, Taciana Valença e Vera Nóbrega; em Porto Alegre (25/11/2019) com Fred Linardi, Gisela Rodriguez, Irka Barrios, Leon Rodriguez, Simone Vasconcellos, Taiane Maria Bonita e Tales Melati.

Os outros | Patricia Gonçalves Tenório*

Uma vez me disseram que o amor perfeito é a literatura.

Concordo quando lembro dos inúmeros romances maravilhosos, contos estupendos, poemas ou ensaios que nos deixaram degustando cada sílaba, palavra, estrofe ou parágrafo, até entranhar em nossos pulmões, e nos fazer levantar para um novo dia.

A literatura nos salva. Nos salva de nós mesmos, das nossas impossibilidades, dos limites que o mundo nos dá, sem ao menos perguntar se teremos condições ou se saberemos superá-los.

A literatura me salva. E lembro dos momentos em que a escrita me retirou do escuro que a vida impôs, e nasceram As joaninhas não mentem, em 2006, Grãos, em 2007, A mulher pela metade, em 2009, D’Agostinho e Diálogos, em 2010, Vinte e um e A menina do olho verde, em 2016. Cada um desses livros respondeu a alguma impossibilidade, eles mostraram que todos somos capazes de chegar ao fundo do poço e retornar à superfície, sentir o frio do escuro da vida e vislumbrar uma luz no fim do túnel.

Mas, principalmente, os outros nos salvam. Li em um poema de Bernadete Bruto (PE, Brasil) que até os inimigos nos acrescentam, porque nos fazem olhar para o próprio umbigo e enxergar nossas imperfeições.

Acredito, e sempre quero acreditar, que viemos para esta vida, para este mundo somente, e apenas somente, para o afeto. Todos queremos amar e sermos amados – este é o amor perfeito. A literatura nos dá o que os seres humanos nos negam. Quem escreve busca nos outros o afeto para o qual fomos feitos, e com o qual fazemos tudo possuir um sentido.

Em novembro de 2019 completei 50 anos de existência. Quantos outros marcaram profundamente a minha vida e que nem pude agradecer o suficiente? Alguns fazem parte inexorável do meu dia a dia. Alguns se foram para uma dimensão diferente da nossa. Alguns estão distantes espiritualmente por causa de desavenças, ou mesmo distantes fisicamente, mas continuam amigos. São para todos os outros da minha vida que dedico cinco livros lançados no meu aniversário, e que contêm um pouco de cada gênero literário que me constituiu escritora, que me forjou pessoa, eles me fizeram ser quem eu sou.

Porque, contradizendo o grande filósofo existencialista francês Jean-Paul Sartre, se permitirmos, o inferno ou o inimigo não são os outros. Somos nós mesmos.

 

________________________________

PATRICIA TENORIO (298)

Lançamento de As joaninhas não mentem (Recife, 2006) com Maria Eduarda, Bruno e Vítor.

PATRICIA TENORIO E O POETA CESAR LEAL,

Lançamento de Grãos (Recife, 2007) com o saudoso César Leal.

PATRICIA TENÓRIO E ISIS AGRA

Lançamento de Diálogos e D’Agostinho (Recife, 2010) com Ísis Agra.

4 - IMG_4313

Lançamento de Vinte e um/Veintiuno (Madri, 2016) com Raúl García.

1 - IMG_4384

Lançamento A menina do olho verde (Recife, 2016) com Beatriz Brenner e Maria do Carmo Nino.

5 - IMG_4581

Lançamento A menina do olho verde (Porto Alegre, 2016) com Marcelo Maldonado, a saudosa Fabiana Castelo Branco, Ana Wertheimer, Cristiano Dal Forno e esposa, Gustavo Czekster, María Elena Morán e esposo, Cyro e Alexandra Lopes da Cunha.

PHOTO-2019-02-16-13-42-44 (1)

Com a turma do curso de Extensão Estudos em Escrita Criativa – Unicap – Língua Inglesa – 2019.1, convidados especiais Bernardo Bueno (RS) e Elba Lins (PE).

IMG_9372

Com a primeira turma do curso de Especialização Lato Sensu em Escrita Criativa Unicap/PUCRS – 2019.2 nas aulas presenciais de Prof. Assis Brasil.

PHOTO-2019-11-10-07-21-26

No Destaque Literário de Novembro, 2019 da Cultura Nordestina, com as amigas que me incentivaram a formar o grupo de Estudos em Escrita Criativa Bernadete Bruto e Elba Lins.

f0c46bf3-eae4-459e-ae79-ce61f3b6e15c

Lançamento da Coleção Cinco Livros (Recife, 21/11/2019) com amigos artistas e escritores queridíssimos.

IMG_9708

Lançamento da Coleção Cinco Livros (Porto Alegre, 25/11/2019) com os queridíssimos Gisela Rodriguez, Taiane Maria Bonita, Irka Barrios e Fred Linardi.

4cc48ac4-ab0d-4fed-8c6c-3fe650a8e96e

E com o tão queridíssimo baluarte da Escrita Criativa no país Luiz Antonio de Assis Brasil no lançamento da Coleção Cinco Livros em Porto Alegre.

________________________________

* Escritora, dezesseis livros, mestre em Teoria da Literatura (UFPE), doutora em Escrita Criativa (PUCRS), ministrante dos Estudos em Escrita Criativa e uma das coordenadoras da primeira turma da Especialização Lato Sensu em Escrita Criativa Unicap/PUCRS. Contatos: patriciatenorio@uol.com.br e www.patriciatenorio.com.br

O não-lugar em Elizabeth Bishop* | Tiago Silva**

Elizabeth Bishop viveu grande parte da vida deslocando-se, transitando por diferentes lugares, ora como turista, ‘etnóloga’, ora como estrangeira radicada no Brasil, sem nunca encontrar um porto onde se atracar definitivamente. Mesmo quando voltou para os Estados Unidos, já com quase sessenta anos, a poeta não voltou para casa, mas para outro pouso, mais um ponto provisório dentro de uma trajetória, sem início e sem fim. Sua obra conserva marcas desse deslocamento crônico, representando evasões psicológicas e físicas de lugares insatisfatórios para fragmentos do espaço nos quais são projetadas esperanças de felicidade, num fenômeno caracterizado por dois polos. Por um lado, a mente se lança em um processo de prospecção de um lugar no qual os problemas e as dificuldades não existem, um lugar de pertencimento afetivo, por outro, o corpo se coloca em um movimento espacial recorrente, uma busca incessante pelo Elsewhere, nome da segunda seção de seu livro Questões de Viagem ou, em outros termos, pelo somewhere da canção Over the rainbow de Harold Arlen e E. Y. Harburg, escrita para o filme O Mágico de Oz, e eternizada por Judy Garland. Marcas de sua identidade, construída no trânsito, são reveladas através de seu mito pessoal (MCADAMS, 1993), uma estória de si, que liga experiências do passado ao presente e às expectativas em relação ao futuro em um constructo narrativo, desenvolvido ao longo da vida, modelando sua individualidade ao mesmo tempo em que determina o mundo por ela ocupado.

 

_________________________________

IMG_9799

_________________________________

* Trecho das páginas iniciais de O não-lugar em Elizabeth Bishop. Tiago Silva. Aracaju: IFS, 2019.

** Tiago Silva é Doutor em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco, e professor de língua inglesa do Instituto Federal de Sergipe, Campus Estância. Este é seu primeiro livro, fruto de seu trabalho de doutoramento, desenvolvido entre 2014 e 2018, sob orientação do Professor Roland Walter e coorientação do Professor David Jarraway.

Índex* – Novembro, 2019

Mas estou aqui

Sob os braços

Da árvore

Frondosa

Que é a vida

 

Ela não me pergunta

Se estou certa

Se estou errada

Apenas

Banha-me com os

Acontecimentos

E deles

Retiro

Alimento

 

Para compor

Alguns versos

Escrever umas

Páginas

E respirar

Feliz

(“Porque a vida me chamou”, Patricia Gonçalves Tenório, 26/10/2019, 19h19)

 

A vida chamando para um novo ciclo no Índex de Novembro, 2019 do blog de Patricia Gonçalves Tenório.

Lembrete | Lançamentos Cinco Livros – Recife e Porto Alegre | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil) & Diversos (PE, PB e RS – Brasil).

Apresentação de Patricia Tenório para o Destaque literário de novembro da Cultura Nordestina, por Elba Lins (PE/PB – Brasil).

Imagens em Transformação | Organização: Ricardo Timm de Souza, Evandro Pontel e Isis Hochmann de Freitas (RS – Brasil).

The Immense Hour | Iacyr Anderson Freitas (MG – Brasil).

E a entrevista com Sandra Bittencourt (Brasil) para o Programa Revista Eletrônica da CBN:

https://www.cbnrecife.com/revistaeletronica/artigo/entrevista-patricia-goncalves-tenorio

Excepcionalmente postamos mais cedo em Novembro, 2019. Agradeço a atenção e o carinho, a próxima postagem será em 29 de Dezembro de 2019, abraço bem grande e até lá,

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

Index* November, 2019

But I’m here

Under the arms

From the tree

Leafy

That is life

 

She doesn’t ask me

If I’m right

If I’m wrong

Only

Bathe me with the

Events

And with them

I retreat

Food

 

To compose

Some verses

Write some

Pages

And breathe

Happy

(“Because life called me”, Patricia Gonçalves Tenório, 10/26/2019, 7:19 pm)

 

Life calling for a new cycle in the November 2019 Index of Patricia Gonçalves Tenório’s blog.

Reminder | Launches of Five Books – Recife and Porto Alegre | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil) and Miscellaneous (PE, PB and RS – Brasil).

Presentation of Patricia Tenório for the November Literary Highlight of the Northeastern Culture, by Elba Lins (PE/PB – Brasil).

Transforming Images | Organization: Ricardo Timm de Souza, Evandro Pontel and Isis Hochmann de Freitas (RS – Brasil).

The immense hour | Iacyr Anderson Freitas (MG – Brasil).

And the interview with Sandra Bittencourt (Brasil) for the CBN Electronic Magazine Program:

https://www.cbnrecife.com/revistaeletronica/artigo/entrevista-patricia-goncalves-tenorio

Exceptionally we posted earlier in November 2019. Thank you for your attention and affection, the next post will be on December 29, 2019, big hug and until then,

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

IMG_5713

IMG_6270 (1)

IMG_6257

**

____________________________________________

* Índex foi traduzido (a maior parte) apenas para o inglês por uma questão de extensão do post.

* Index was translated (most of it) into English only as a matter of the extension of the post.

** Árvores da minha vida: Bruno, Maria Eduarda e Vítor (Av. Beira Rio e Jardim do Baobá, Recife – PE, 2017), e ipê da PUCRS (Porto Alegre – RS, 2017). Trees of my life: Bruno, Maria Eduarda and Vítor (Beira Rio Avenue and Baobá Garden, Recife – PE, 2017), and PUCRS ipê (Porto Alegre – RS, 2017).

Lembrete | Lançamentos Cinco Livros – Recife e Porto Alegre | Patricia Gonçalves Tenório

Estão chegando os dias. Dia de aniversário. Dias de lançamentos.

E nada melhor do que agradecer a esses maravilhosos amigos que me ajudaram imensamente a tornar esse sonho realidade….

Com vocês, do Recife, Bernadete Bruto, Dinaldo Lessa, Elba Lins, Hugo César, Jaíne Cintra, Raldianny Pereira, Taciana Valença, Vera Nóbrega; de Porto Alegre, Fred Linardi, Gisela Rodriguez, Irka Barrios, Simone Vasconcellos, Taiane Maria Bonita e Tales Melati.

Da esquerda para a direita, as queridíssimas Taciana Valença, Vera Nóbrega, Bernadete Bruto, Elba Lins e Raldianny Pereira convidam para o lançamento dos Cinco Livros na Livraria Cultura do RioMar, em Recife, no 21/11/2019, a partir das 18h30.

O queridíssimo Hugo César, da Especialização Lato Sensu em Escrita Criativa Unicap/PUCRS, a convite de Bernadete Bruto, lê um poema de Grãos, que estará em 7 por 11, um dos Cinco Livros a serem lançados em Recife e em Porto Alegre.

PHOTO-2019-11-14-20-55-52

Da esquerda para a direita, os queridíssimos Irka Barrios, Taiane Maria Bonita, Tales Melati, Gisela Rodriguez,  Simone Vasconcellos e Fred Linardi ensaiando a leitura dramatizada do lançamento dos Cinco Livros na Livraria Bamboletras da Nova Olaria, em Porto Alegre, no 25/11/2019, a partir das 18h30.

 

O vídeo dos Cinco Livros que a tão queridíssima designer e amiga Jaíne Cintra está concorrendo no Brasil Design Award 2019, cujo resultado sai… no 21/11/2019!

convivte_Patricia-Tenorio_web

E o convite para esses lançamentos feitos com muito carinho, e que ficarei imensamente feliz com a presença de vocês!

 

Abraços do tamanho dos nossos sonhos,

 

Patricia Gonçalves Tenório

 

 

 

 

Apresentação de Patricia Tenório para o Destaque literário de novembro da Cultura Nordestina*, por Elba Lins**

Patricia Tenório nasceu em Recife, e, após morar vários anos em Maceió, retorna para aqui cursar Análise de Sistemas na Universidade Católica de Pernambuco.

Foi em Recife que se lançou na literatura. Tudo começou com sua Livraria Domenico que funcionou de março de 2002 a março de 2004. No auditório da Domenico aconteciam palestras, cursos e oficinas em diversas áreas da arte – literatura, música,  cinema …

Em 2004, Patricia quis ser protagonista de sua própria história na literatura e iniciou seu trajeto na Oficina Literária de Raimundo Carreiro, em agosto de 2004. Em dezembro daquele ano, participou da Antologia dos alunos da Oficina – com a crônica “Lentes Cor-de-Rosa”.

Em 2005, Patricia lança o seu primeiro livro, O Major –  Eterno é o Espírito; foi o resultado de um convite da família para escrever a biografia do seu avô paterno – José Tenório, cujo centenário aconteceria naquele ano. Em seis meses cumpre todas as etapas de entrevistar, escrever, revisar. Em 05 de novembro – data do aniversário do avô – acontece o lançamento.

“O milagre está acontecendo. Mergulho na alma de meu avô, conversamos o tempo inteiro, um diálogo imaginário, é verdade. E, a partir desse encontro, começo a perceber o nunca concebido, sequer pensado. É o início de minha cura. Quem sabe  o encontro do grande, maior amor da minha vida?” (TENÓRIO, Patricia. O Major – Eterno  é o espírito, 2005. Pág.73)

No final deste livro Patricia dá um depoimento de como foi compulsivo o seu processo de escrever:

“Ao fechar a Domenico, bateu uma vontade enorme de escrever. Era compulsivo, um caos se instalou em meu ser e tornou-se inevitável. Ou escrevia ou a morte. Meio trágico assim, mas que descobri, no primeiro dia de aula na Livraria Nobel, agosto de 2004, ser essa mesma dor, agonia que todo escritor passa. Então as torneiras se abriram e jorrou tudo. Minha vida, angústias, questionamentos.” (TENÓRIO, Patricia. “Presente – Novembro, 2005” in  O Major – Eterno é o espírito. Pág. 258)

Em 2006, Patricia lança o seu segundo livro, As Joaninhas não Mentem, e em 2011, o livro é adaptado para o teatro. Foi nessa ocasião que conheci a escritora Patricia Tenório.

A fábula As Joaninhas não Mentem conta a história  de Ariana e a viagem em busca de si mesma e do príncipe do amor perfeito.

“A Torre… Para lá se dirigia Ariana. Colocou o elmo na cabeça, apertado era o elmo. Jeito de camponesa, permitindo dores, respirou fundo, conseguiu encaixar sobre os cabelos, cor de sol, peleterra. Olhos castanhos, mar de sonhos brilhava na direção da Torre.

Ariana não vendo a torre e segurava firme as rédeas do cavalo branco apertando com as pernas longas. Longos seriam os caminhos, tortuosos seriam os caminhos, perigosos seriam os caminhos. Mas ela prometeu. A si e à Irmã Clara. Lá estaria o que sempre sonhou. E por que temia?” (TENÓRIO, Patricia. As Joaninhas não mentem, 2006. Pág. 13)

Grãos foi lançado em 2007, e é um livro que deixa espaço para a criatividade, dá asas às próprias fantasias do leitor. E isto é de se esperar, pois já na apresentação Patricia fala:

“Numa sociedade de consumo onde os rótulos e preconceitos são estabelecidos, Grãos se propõe a ser escolhido, plantado no tecido imaginário de cada leitor. Que nele a casca aprisionadora da essência pura do texto se quebre, libertando o que foi despertado no momento mágico: quando quem escreve e quem lê se tornam um.” (TENÓRIO, Patricia. Grãos, 2007. )

Muitas faces da escrita de Patricia vieram à tona em Grãos: de forma cheia de fantasia em “Intervalo” e “O Banho”, de forma fria e realista em “Três Quartos”, ou inesperada em “Labirinto”.

Em A Mulher pela Metade lançado em 2009, tento captar todo o  teor escondido em cada voz… É emoção demais que a escritora Patricia coloca nas vozes de Augusto, Séphora e Sahra. É a crueza, a dureza e toda a beleza da vida em suas várias faces, muito bem espelhada nas várias gravuras de um caleidoscópio, várias faces, que vão se tecendo e se moldando a cada movimento da Terra, a cada girar do caleidoscópio. O livro é rico em metáforas, poemas que brotam ao longo do texto.

“Essa Séphora é o lado que posso mostrar. O lado obscuro de mim, esse, derramo na arte, nos meus quadros incongruentes, feitos de colagem, abstrações e cores fortes, coaguladas, para deitar ali a alma inteira, a alma que não conheço, que me acorda com o quarto revirado à procura de algo que não sei definir.” (TENÓRIO, Patricia. A Mulher pela Metade, 2009. Pág. 17)

Em 2010, são lançados Diálogos e  D’Agostinho. Patricia aproveita a experiência obtida no Curso de Cinema que fez na New York Film Academy em 2010 e transforma em curtas três contos do livro Diálogos. Textos, Edição e Direção: Patricia Tenório. Produção  e Figurino: Jorge Féo.

“Olhos Fechados” – Com Isis Agra e Tiago França

“O domador de  bolas de sabão” – Com Kleber Lourenço

“Prisão Perpétua” – Com Hermínia Mendes, Renata Phaelante e Juan Guimarães.

Os poemas do  livro D’Agostinho nos  remetem a uma busca interior, a uma atmosfera mística, ou a reminiscências contidas na alma. Acompanha o livro CD com os poemas recitados por Karyna Spinelli e Carlos Ferreira. Produção: Jorge Féo. Texto e Direção: Patricia Tenório.

“Dá-me a luz da espada

Para devastar a imensidão do teu saber

Alargar nos limites da ignorância

A tentativa de saber quem és

Saber quem sou

Saber por quê

Saber para quê

 

Diz-me a palavra e calo

Permanecerei séculos a auscultá-la

Poli-la

Pensá-la

E num dia cor de cinza

Uma fagulha escarlate

Em mim se revelará.”

(TENÓRIO, Patricia. “Escarlate” in D’Agostinho, 2010. Pág. 33)

Patricia lança  em 2013 o livro Sans nom / Fără nume, uma coletânea de contos, crônicas e poesias. Trata-se de uma edição bilíngue (Francês/ Romeno) com tradução de alguns dos textos já lançados anteriormente no Brasil em outros livros.

Em 17 de setembro de 2015, a escritora Patricia defende a dissertação de mestrado em Teoria da Literatura pela Universidade Federal de Pernambuco na linha de pesquisa Intersemiose, O retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde: um romance indicial, agostiniano e prefigural, sob a orientação da Prof. Dra. Maria do Carmo de Siqueira Nino.

Em 2016, é lançado Vinte e Um / Ventiuno – um livro de contos em edição bilíngue (português/ espanhol). Neste livro chamo atenção especial para os contos  “Um olhar sobre Istambul”, “O dia da minha vida”, “Da cuore”,  “Eu, Comigo e Deus” e “ Vinte e um”.

Um novo livro chega às livrarias em 2016. É A Menina do Olho Verde – uma bela  fábula que reflete a vida e as decisões que somos levados a tomar para descobrir o nosso lugar no mundo.

“Precisava descobrir o seu destino, e se esquecera de perguntar o seu destino ao Mestre da barba branca e longa. (…) Procurou no Mapa amarelecido um ponto de encontro entre o agora e o amanhã,  entre o aqui e o acolá,  e percebeu tão assustada que o Mapa ia se fazendo à  medida que ela o fazia,  e os personagens iam se desenhando como se saíssem de sua imaginação.” (TENÓRIO, Patricia. A Menina do Olho Verde, 2016. Pág. 19).

Em 2016, Patricia criou um grupo experimental para Estudos em Escrita Criativa. O grupo se encontrou entre agosto de 2016 a dezembro de 2017. Com esse objetivo, eram utilizados os mais variados recursos: obras literárias de autores clássicos e contemporâneos – romances, contos, poemas e textos teóricos –, e também filmes, esculturas e pinturas, músicas. Com a mesma finalidade, o grupo experimental ainda se reúne esporadicamente.

Em 2017, com o apoio da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, aconteceu em outubro o I Seminário Nacional em Escrita Criativa de Pernambuco durante a Bienal, onde foi lançado o livro Sobre a Escrita Criativa I.

Em 2018, Patricia abre o grupo de Estudos em Escrita Criativa para a participação do grande público. Ocorrem então, em Recife e Porto Alegre, oito encontros mensais e temáticos sob a coordenação de Patricia Tenório, na Livraria Cultura. No último encontro foi lançado o Sobre a Escrita Criativa II.

Em 8 de outubro de 2018, Patricia defende sua tese de doutorado na PUC do Rio Grande do Sul. Dele resultou a novela Doze horas.

Doze  horas  é  uma  novela  ensaística  em  três  camadas.  Narrada  em  terceira  pessoa  do singular,  conta  a  história  de  Arabella Fantini,  quarenta  e  cinco  anos,  solteira  e  sem  filhos, nascida em Recife,  residente em Porto Alegre,  Brasil,  e  museóloga  do Museu de  Arte  do Rio  Grande  do  Sul  –  MARGS.  Ela  traz  à  tona  artistas  desconhecidos,  e,  uma  bela  tarde, recebe  a  carta  com  fotografias  da  obra  de  Fernandes  Vieira,  artista  português  que  o remetente  afirma  ter  conhecido  seu  pai,  desaparecido  desde  os  treze  anos  da  museóloga. Toda  a  narração  é  feita  durante  o  voo  de  doze  horas  para  Lisboa,  resgatando  o  passado, descrevendo  o  presente,  antecipando  o  futuro,  criando  diálogos  imaginários  com  ‘o  rapaz ao  lado’.”

No primeiro semestre de 2019, aconteceu na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) sob a coordenação de Patricia cinco encontros mensais dos Estudos em Escrita Criativa.

No segundo semestre de 2019, foi lançada na Unicap em parceria com a PUCRS, a Especialização Lato Sensu em Escrita Criativa com duração de catorze meses.

Agora em 21 de novembro de 2019,  teremos o lançamento conjunto de cinco livros de Patricia: O romance que resultou de sua tese de doutorado – Doze horas: O mito individual em uma autobioficção, um livro de poesia, um de contos, outro de ensaios e um ainda com a seleção de alguns textos e poemas publicados ao longo de sua carreira.

Está programado para ser lançado em 2020, no final do curso de pós-graduação,  o  livro Sobre a Escrita Criativa III.

O lançamento dos cinco livros, programado para 21 de novembro, será uma grande comemoração, pelos 50 anos de Patricia e por seus 15 anos de vida literária.

_________________________________

PHOTO-2019-11-10-07-21-23

PHOTO-2019-11-10-07-21-24

PHOTO-2019-11-10-07-21-25

PHOTO-2019-11-10-07-21-26

PHOTO-2019-11-10-07-21-28

* Apresentação realizada em 09/11/2019 no Destaque Literário (projeto de Bernadete Bruto, coordenação de Eugênia Menezes e Taciana Valença) na Cultura Nordestina (de Salete do Rêgo Barros) Recife  PE. Contato: blog.culturanordestina.com.br

** Elba Santa Cruz Lins (Monteiro/PB, 1957) é formada em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco (1979), fez MBA em Gestão de Negócios (EAD) pela PUC-PR. Trabalhou durante 34 anos na área de Telecomunicações da CHESF (Companhia Hidroelétrica do São Francisco). Atualmente aposentada, dedica-se à escrita. Fez curso de Contação de Histórias no Zumbaiar (Recife). Faz poesias, há três anos participa dos Estudos em Escrita Criativa, sob a coordenação de Patricia Gonçalves Tenório, e cursa a Especialização Lato Sensu em Escrita Criativa  Unicap/PUCRS. Lançou em 2017 seu primeiro livro de poemas, Do outro lado do espelho: O feminino em estado de poesia. Contato: elbalins@gmail.com

Índex* – Outubro, 2019

Você vai crescer

E vai entender

Que deixar de ser criança

Não perde a

Ternura

E com respeito aos pais

Se ganha sempre

 

Então procure

Não olhar para trás

E saber trilhar

O próprio caminho

E fazer soar

A própria voz

 

Sem culpar

Quem veio antes

Mesmo com todos

Os defeitos

Mesmo com algumas

Qualidades

 

Mesmo sendo

Os seus pais

(“Você vai crescer um dia”, Patricia Gonçalves Tenório, 12/10/2019, 16h37)

 

O crescimento da escrita a cada dia no Índex de Outubro, 2019 no blog de Patricia Gonçalves Tenório.

Convite Lançamentos Cinco Livros | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil).

“Janelas” | Patricia Gonçalves Tenório.

Sessenta e um poemas para uma vida | Bernadete Bruto (PE – Brasil).

Dicionário involucionário | Felipe Franklin de Lima Neto (CE – Brasil).

Lucas Oats e o segredo do 404 | Meire Fernandes (PE – Brasil).

Sumiço do ovo: contos e crônicas | Taciana Valença (PE – Brasil).

Muito obrigada pelo carinho de sempre, a próxima postagem será em 24 de Novembro de 2019, grande abraço e até lá,

 

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

Index* – October, 2019

You will grow up

And you will understand

That stop being a child

Do not lose

Tenderness

And with respect to parents

One always wins

 

So search

Don’t look back

And know how to tread

Your own way

And make sound

Your own voice

 

Without blaming

Who came before

Even with every

Defects

Even with some

Qualities

 

Even they being

Your parents

(“You will grow someday”, Patricia Gonçalves Tenório, 10/12/2019, 4:37 pm)

 

The daily growth of writing in the October Index, 2019 in Patricia Gonçalves Tenório‘s blog.

Invitation Five Books Releases | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil).

“Windows” | Patricia Gonçalves Tenório.

Sixty-one poems for a lifetime | Bernadete Bruto (PE – Brasil).

Involutionary Dictionary | Felipe Franklin from Lima Neto (CE – Brasil).

Lucas Oats and the 404 secret | Meire Fernandes (PE – Brasil).

Egg disappearance: tales and chronicles | Taciana Valença (PE – Brasil).

Thank you very much for the affection, the next post will be on November 24, 2019, big hug and until then,

 

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

 

IMG_9585

**

 

____________________________________________

* Índex foi traduzido (a maior parte) apenas para o inglês por uma questão de extensão do post.

* Index was translated (most of it) into English only as a matter of the extension of the post.

** O crescimento da escrita bem diante dos seus pais. The growth of writing right in front of your parents.

 

Convite Lançamentos Cinco Livros | Patricia Gonçalves Tenório

convivte_Patricia-Tenorio_web

 

Um amor cinquentenário à literatura

Escritora pernambucana Patricia Tenório lança coletânea no Recife e em Porto Alegre

 

Uma vida em cinco volumes. Uma história que não tem começo, nem fim, com textos que mesclam realidade, ficção, poesia e que registram o passo a passo de uma paixão à escrita criativa. Assim se pode definir a Coleção Cinco Livros, da escritora pernambucana Patricia Tenório, que não por acaso celebra seu cinquentenário com o lançamento de uma coletânea de obras reunindo seus principais livros, textos inéditos e outros quase.

A história contada nos cinco volumes é de um amor à literatura. 12 horas (prefácio de Assis Brasil – RS) é a tese de doutorado em Escrita Criativa na PUCRS. 13 (prefácio de Bernardo Bueno – RS) é uma proposta de escrever 50 contos em 30 dias. 14 (prefácio de Carlos Nóbrega e Alves de Aquino – CE) é uma seleção de 50 poemas escolhidos em meio a mais de 200 produzidos entre 2013 e 2018. 15 (prefácio de Fábio Varela Nascimento – RS) é um livro de ensaios produzidos de 2013 a 2018. E 7 por 11 (prefácio de Fábio Varela Nascimento – RS) é a seleção de trechos, contos e poemas de 7 dos 11 livros publicados pela autora até 2016.

Os lançamentos ocorrerão em Recife, no dia do aniversário de Patricia, 21 de novembro, na Livraria Cultura Riomar, a partir das 18h30; e em Porto Alegre, na Livraria Bamboletras, no 25 de novembro, a partir das 18h30.  Ambos terão, como atração especial, leituras dramatizadas com Bernadete Bruto, Dinaldo Lessa, Elba Lins, Raldianny Pereira, Taciana Valença e Vera Nóbrega em Recife, Fred Linardi, Gisela Rodriguez, Irka Barrios, Simone Vasconcellos, Taiane Maria Bonita e Tales Melati em Porto Alegre.

 

 

Sessenta e um poemas para uma vida* | Bernadete Bruto**

Primeiro Ato

 

Nascimento

 

Entre o amigo e o inimigo

Entre o pobre e o rico

Entre ele e ela

Entre o sólido e o líquido

Um coração dividido

 

Dividida pelos astros

No alvorecer

Do dia

Assim é

Entre opostos

Equilibrando-se

Pela vida.

 

Segundo Ato

 

Poema resposta

 

Por trás do rude

Da pedra

Da raiva

Há um ser

Temente da dor

Pois o doce

A flor

E a calma

É a própria alma

Simplesmente

Repleta

De amor.

 

Terceiro Ato

 

Puro agradecimento

 

Agradeço todo dia

Com alegria

Toda natureza

A contemplar

 

Agradeço ao amigo

Acolhendo-me

Com tanto carinho

Dando-me abrigo

 

Agradeço até ao inimigo

Cada dia a me guiar

Apontando para meu umbigo

Possibilitando melhorar.

 

__________________________________________

IMG_9581

__________________________________________

* Poemas extraídos de Sessenta e um poemas para uma vida. Bernadete Bruto. Prefácio: Taciana Valença. Posfácio: Maria das Graças Bruto da Costa Correia. Recife: Ed. do Autor, 2019.

** Bernadete Bruto (Recife/PE, 1958) é poeta performática, membra da União Brasileira de Escritores (UBE), da Associação dos Amigos do Museu da Cidade do Recife (AMUC), parceira da Cultura Nordestina Letras e Artes. É integrante dos grupos “Confraria das Artes” e “Grupo de Estudos em Escrita Criativa”. Seus três primeiros livros publicados são coletâneas de poemas, Pura Impressão (2008), Um Coração que Canta (2011), Querido Diário Peregrino (2014). Seu quarto livro trata do gênero infanto-juvenil e é bilíngue: A menina e a árvore – The girl and the tree (2017). Tem participação em várias apresentações poéticas e performáticas. Contatos: www.bernadetebruto.com e bernadete.bruto@gmail.com

Dicionário involucionário* | Felipe Franklin de Lima Neto**

Primeiro Verbete Involucionário: 1 – Homo Protestis.

 

A “Antropologia Pós-Moderna Brasileira” cunha o termo HOMO PROTESTIS: Com isso tenta ela cientificizar (tornar sérias) as tentativas de caricatura que a mídia corporativa promove frente aos fatos que vêm ocorrendo nas ruas reais e virtuais desse país durante a Guerra das Confederações e o Junho 13 Brasileiro.

 

Décimo Terceiro Verbete Involucionário: 13 – Quatro Estações.

 

Corriqueiramente associada à ópera pluviométrica e “inconformista” de Antônio Vivaldi; na subvariante musical também atrelada ao disco da banda candanga Legião Urbana; No caso político morfossintárico em rigor: se diz da radicalização anarquista e incendiária da midiática Primavera Brasileira.

 

Trigésimo primeiro Verbete Involucionário: 31 – Interlúdio.

 

Pausa na produção e criação intuitiva e improvisada do dicionário para auscultar e participar dos ruídos internos e externos inscritos no ritmo involucionário dos acontecimentos do Junho 13 Brasileiro e da Guerra das Confederações.

 

_________________________________________

IMG_9582

_________________________________________

* Verbetes extraídos de Dicionário involucionário. Felipe Franklin de Lima Neto. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2019.

** Felipe Franklin de Lima Neto; doravante Felipe Neto – como é chamado por todos aquelxs que o (des)conhecem desde antes o emergir totemtectônico e tsunâmico do mundo virtual; 4.3 quasares anos; cientista que sonha – para – além – desse – social; antropolírico; poeta político metido a; professor; dicionarista; aquele que taquigrafou isso até aqui; deu um ponto; afinal. Contato através do Poeta de Meia-Tigela Alves de Aquino: deaquinoalves@gmail.com