Posts com Circo

Índex* – Agosto, 2015

“Era uma vez uma palavra que não saiu da boca de Alice. Ele então ruborizou diante daquele nada.

A palavra era um Nome, um Nome tão querido que Alice não pôde sustentar entre a língua e os dentes e deixou cair no chão.

Ele foi de uma gentileza pois a Alice entendeu, a Alice ofereceu o seu melhor sorriso.

E assim os dois sozinhos, cada qual em sua estrada, seguiram com o aroma um do outro e a lembrança daquele nada.”

(“Quando o Nome emudeceu”, Patricia Tenório, 15/08/15, 06h50)

 

A palavra muda diante da Beleza no Índex de Agosto, 2015 no blog de Patricia Tenório.

O retorno de “O desaprendiz de estórias (Notas para uma Teoria da Ficção)” | Patricia Tenório (Recife, PE – Brasil).

Festas de agosto: devoção, cultura, tradição e família | Mara Narciso (Montes Claros, MG – Brasil).

É hoje!: Teatro Intinerante | Marcondes Mesqueu (Rio de Janeiro, RJ – Brasil).

TINTEIROS | Poemas de Diego Mendes Souza (Parnaíba, Piauí – Brasil).

E os links do mês:

Danuza Lima (Recife, PE – Brasil) com o conto Verdejar na coluna PalavraTório do blog Parlatório de Adriano Portela (Recife, PE – Brasil): http://parlatorio.com/verdejar/ 

Poemas de Rizolete Fernandes (Natal, RN – Brasil) no blog Crear en Salamanca: http://www.crearensalamanca.com/poemas-ineditos-de-la-brasilena-rizolete-fernandes-traduccion-de-alfredo-perez-alencart/ 

A nova página de Maria Eduarda Tenório de Oliveira e Silva (Recife, PE – Brasil): https://m.facebook.com/pages/DS-Tenório/1712916668938186

Agradeço o carinho e a participação, a próxima postagem será em 27 de Setembro de 2015, um abraço bem grande e até lá,

Patricia Tenório.

___________________________________

Index* – August, 2015

“Once upon a time there was a word that did not come out of Alice’s mouth. He then blushed before that nothing.

The word was a Name, one Name so dear that Alice could not sustain between the tongue and teeth and dropped to the ground.

He had such a kindness because to Alice he understood, to Alice he offered his best smile.

And so the two alone, each in own road, followed with the scent of each other and the memory of that nothing. “

(“When the Name was speechless”, Patricia Tenorio, 8/15/15, 6:50 a.m.)

The silent word before Beauty in the Index of August, 2015 in the blog of Patricia Tenorio.

The return of “The unlearner of stories (Notes for a Theory of Fiction)” | Patricia Tenorio (Recife, PE – Brasil).

Festivities of August: devotion, culture, tradition and family | Mara Narciso (Montes Claros, MG – Brasil).

It is now!: Itinerant Theater | Marcondes Mesqueu (Rio de Janeiro, RJ – Brasil).

Inkstand| Poems from Diego Mendes Souza (Parnaíba, Piauí – Brasil).

And the links of the month:

Danuza Lima (Recife, PE – Brasil) with the short story Verdejar in the column PalavraTório in Parlatório blog  from Adriano Portela (Recife, PE – Brasil)http://parlatorio.com/verdejar/

Poems from Rizolete Fernandes (Natal, RN – Brasil) in the blog Crear en Salamanca: http://www.crearensalamanca.com/poemas-ineditos-de-la-brasilena-rizolete-fernandes-traduccion-de-alfredo-perez-alencart/

The new page of Maria Eduarda Tenorio de Oliveira e Silva (Recife, PE – Brasil): https://m.facebook.com/pages/DS-Tenório/1712916668938186

I appreciate the kindness and participation, the next post will be on September 27, 2015, a big hug and until then,

Patricia Tenório.

___________________________________

foto 1 (4)

 

foto 2 (5)

**

 

___________________________________

* Índex foi traduzido apenas para o inglês por uma questão de extensão do post.

* Index was translated into English only as a matter of the extension of the post.

**Quando Patricia Tenório emudeceu… When Patricia Tenório was speachless… 

É hoje! : Teatro Intinerante | Marcondes Mesqueu*

Marcondes

 

Felicidades

Marcondes Mesqueu

(021) 964523908 ( ID 24*16314 )

(21) 965216662 – TIM / 995265106 – VIVO / 986338884 – OI / 968504072 – CLARO   

Saiba mais:

www.teatroitinerante.blogspot.com e teatroitinerante.rua1@gmail.com

                          Te aguardo no Facebook                            

https://www.facebook.com/MARCONDESTEATRO Marcondes Mesqueu

Índex* – Julho, 2015

Eu sonho

Com um mundo 

Que há de vir

Onde o negro dê a mão

Ao branco

Os sexos sejam apenas 

Sexos

E o homem não seja

O olho invertido da 

Mulher

Olho para trás

E vejo somente

Espinhos

Caminho um passo

De cada vez

E colho flores murchas

Amores perfeitos 

Do que fui um dia

A criança que gera

A mulher que gera

Aquela velhinha

De cabelos brancos

Que dá a mão 

Ao negro

Que não se importa

Com os sexos

Serem apenas sexos

E eu

Me apaixonar

Por você

(“Um livro por vir ou Quando Tenório encontra Blanchot”, Patricia Tenório, 01/07/15, 04h23)

Quando a Poesia encontra a Teoria no Índex de Julho, 2015 do blog de Patricia Tenório.

Poemas de Mestrado – A Prefiguração do Fim | Patricia Tenório (Recife, PE – Brasil).

A Arte de Maria Eduarda Tenório de Oliveira e Silva (Recife, PE – Brasil).

Último dia em Paraty | Mara Narciso (Montes Claros, MG – Brasil).

Conversa de pai | Clauder Arcanjo (Mossoró, RN – Brasil).

Fotografia para Imaginar | Gilberto Perin (Porto Alegre, RS – Brasil) e outros.

A Poesia de Alves de Aquino (Poeta de Meia-Tigela) (Mucambo, CE – Brasil) e Dércio Braúna (Limoeiro do Norte, CE – Brasil).

O Convite de Adélio Amaro (Algarvia, Açores – Portugal).

E o meu muito obrigada a todos e todas que fizeram parte dessa postagem especial, a próxima postagem será em 30/08/2015, um grande abraço e até lá,

Patricia Tenório.

___________________________________

Index* – July, 2015

I dream

With a world

To-be

Where the black give hand 

To the white

The sexes are only

Sexes

And the man is not

The inverted eye of the

Woman

I look back

And see only

Thorns

I walk a step

At a time

And harvest withered flowers

Pansies

Do I once was

The child that generates

The woman that generates

That white-haired old lady

Giving hand

To the black

Who doesn’t care 

That sexes

Are only sexes

And I

Fall in love

With you

(“A book to-be or When Tenório meets Blanchot”, Patricia Tenório, 07/01/15, 04:23 a.m.)

When Poetry meets Theory in the Index of July, 2015 in the blog of Patricia Tenório.

Master’s Poems – Foreshadowing of the End | Patricia Tenório (Recife, PE – Brasil).

The Art of Maria Eduarda Tenório de Oliveira e Silva (Recife, PE – Brasil).

Last day in Paraty | Mara Narciso (Montes Claros, MG – Brasil).

Father talk | Clauder Arcanjo (Mossoró, RN – Brasil).

Photography for Imagine | Gilberto Perin (Porto Alegre, RS – Brasil) and others.

The Poetry of Alves de Aquino (Poeta de Meia-Tigela) (Mucambo, CE – Brasil) and Dércio Braúna (Limoeiro do Norte, CE – Brasil).

The Invitation from Adélio Amaro (Algarvia, Açores – Portugal).

And all my gratitude to all that made part of this special post, the next post will be on 08/30/2015, a big hug and see you there,

Patricia Tenório.

___________________________________

foto 1 (3)

foto 2 (4)

foto 3 (1)

**

___________________________________

* Índex foi traduzido apenas para o inglês por uma questão de extensão do post.

* Index was translated into English only as a matter of the extension of the post.

**A Sala de Leitura César Leal, CAC – UFPE, Recife – PE, Brasil, onde a Teoria se encontrou com a Poesia… The Reeding Room César Leal, CAC – UFPE, Recife – PE, Brasil, where Theory met Poetry… 

Último dia em Paraty | Mara Narciso*

10 de julho de 2015

“Estava à toa na vida, o meu amor me chamou, pra ver a banda passar, tocando coisas de amor.” (A Banda, Chico Buarque de Holanda, 1966).

 

O início da apresentação do Grupo Carroça Mamulengo de Rio Claro, MG, estava marcado para as 9 horas da manhã na Praça da Matriz, no último dia da XIII FLIP, Festa Literária Internacional de Paraty. O público chegou aos poucos, juntamente com os atores, uns jovens bonitos, e da mesma família, sendo duas duplas de gêmeos, uma de rapazes e outra de moças, capitaneados pela mãe de um deles. Trouxeram suas crianças, e a atividade faria parte da Flipinha, dedicada ao público infantil.

Os jovens circenses colocaram um lençol colorido no centro da praça e nele se sentaram, improvisando um camarim. Com espelhos nas mãos tiraram objetos mágicos da sacola e iniciaram a pintura dos seus rostos, primeiro com uma base branca, e depois cor preta nas sobrancelhas, boca vermelha e nariz de palhaço. As crianças, filhas dos artistas, também estavam se trocando e se pintando. Eram pessoas bonitas. Algumas delas trazendo instrumentos musicais, sentaram-se nos bancos e começaram a ensaiar alguns acordes. Outros traziam pernas de pau longas, protegidas por grandes sacos de pano.

A platéia foi se formando e invadiu a cena fotografando e filmando. Os atores vestiam roupas de cores alegres e foram subindo nas suas pernas-de-pau. As moças estavam com longos e charmosos vestidos. Mal começaram a andar lá no alto, já impressionavam pela habilidade. A música começou, embalando o aquecimento. Então, eles fizeram uma roda, chamando o público, e de lá de cima seguraram as mãos dos cá de baixo. O grupo fingia o abrir e fechar de uma porteira, imitando o ruído com a voz, abrindo e fechando os braços. Após alguns minutos chamaram a assistência para acompanhá-los ruas afora, o que já seria surpreendente, considerando-se o calçamento da cidade, com pedras altas e irregulares, com sulcos e monturos, onde é difícil caminhar devagar, mesmo de tênis. Com pernas-de-pau?

 

“A minha gente sofrida esqueceu-se da dor, pra ver a banda passar, cantando coisas de amor.”

 

Com a agilidade de jovens treinados e com boa força nas pernas, o grupo avançou célere pelas ruas pedregosas de Paraty, acompanhado pelo relativamente pequeno grupo, a princípio, que estava na praça naquela manhã fria. Seus filhos seguiram o grupo. A banda de música atrás, com atores igualmente vestidos de alegria. Tocavam músicas cantantes e conhecidas, entre modinhas de carnaval e populares. A caminhada, que era rápida, passou a ser praticamente uma corrida, e a alegria do grupo e da música envolveu o público, que nessa altura era uma pequena multidão que se acotovelava nas ruas estreitas da cidade histórica, felizmente plana.

Os intrépidos atores circenses faziam hábeis malabarismos, corriam, saltavam, dançavam, dobravam as pernas-de-pau à altura da cabeça e levantavam acima dos seus braços estendidos para cima, uma das moças, também de perna-de-pau. Loucura total! A carregavam como a um andor, e, ao ritmo e em conjunto a depositavam delicadamente no chão.  Também seus filhos foram içados. A empolgação do grupo invadia os presentes, que, sem saber exatamente como, estavam magnetizados por tudo, energia, música e euforia, coisa incompreensível para quem acaba de chegar. Os que ouviram a música em casa, foram atraídos por ela, saíam à varanda, à porta ou lá no alto, esticavam pescoço, braços e mãos, capturados pela situação, sendo impelidos para a rua. O contágio da alegria atuava como cachaça. Paraty é, sim, sinônima de cachaça.

Quem acompanhava, corria e dançava, escancarando um riso rasgado de felicidade. O som dos instrumentos e o magnetismo dos participantes hipnotizaram os presentes, que extasiados, seguiram o grupo por quase duas horas, sem avaliar tempo, nem cansaço. Depois do circuito pelas ruas, voltaram para a praça, onde uma grande corrente humana, de mãos dadas, deu um abraço nela. A brincadeira seguiu-se por mais alguns minutos, com integração dos dois grupos, platéia e elenco. Atados pelas mãos, altos e baixos, adultos e crianças rodopiaram na praça num grande caracol.

 

“E para o meu desencanto, o que era doce acabou, tudo tomou seu lugar, depois que a banda passou.”

 

O nível da atração Carroça Mamulengo é de primeira grandeza, sendo facilmente alçado ao patamar de clímax de toda a festa. A perícia dos jovens artistas é alimento para o espírito, e tal instante de felicidade é o melhor convite para uma volta.

_________________________________

 
Paraty 2015 147____________________________

* Contato: yanmar@terra.com.br

Índex* – Outubro, 2014

Desaprendi

A contar estórias

Feito se

Desaprende

Cantigas de ninar

 

Basta somente

Deitar na cama

A criança

Que um dia eu fui

Alisar os seus cabelos

E dizer que

O lobo mau

Está longe

Longe

 

E nada

E ninguém

Vai atrapalhar

A nuvem roçar

A lua cheia

Que se esconde

Em seu ouvido

 (“Carochinha ao contrário ou A desaprendiz de estórias”, Patricia Tenório, 10/10/14, 20h00)

 

A criança que habita em nós e nos salva no Índex de Outubro do blog de Patricia Tenório.

“Reverência” em “Grãos” | Patricia Tenório (PE – Brasil).

VII ENCONTRO DE LITERATURA INFANTOJUVENIL E II ENCONTRO INTERNACIONAL DE LITERATURA INFANTOJUVENIL DA UNICAP | Coord. Prof. Robson Teles (PE – Brasil).

Poema do Dia | Alcides Buss (SC – Brasil).

“Uma garça no asfalto” | Clauder Arcanjo (RN – Brasil).

“Documentando novos espaços: os vídeos caseiros de Derek Jarman” | Adriana Pinto Azevedo (RJ – Brasil).

“Os rebeldes: Geração Beat e anarquismo místico” | Claudio Willer (SP – Brasil).

E as novidades do Suplemento Cultural de Santa Catarina (84) [ô catarina] (SC – Brasil): www.fcc.sc.gob.br/ocatarina

Agradeço o carinho e contribuição de todos e todas, a próxima postagem será em 30 de Novembro de 2014, um abraço bem grande e até lá,

Patricia Tenório.

___________________________________

Index* – October, 2014

I’ve unlearned

To storyteling

As if

We unlearn

Singing lullabies

 

Just only

Lying in bed

The child

One day I went

Smoothing her hair

And to say

The Bad Wolf

Is far

Far away

 

And nothing

And no one

Will muddle

The cloud brush

The full moon

Hidding itself

In her ear

 (“The Counter Fairies on the contrary or The unlearning storyteller”, Patricia Tenório, 10/10/14, 8 pm)

 

The child that dwells in us and saves us in the Index of October in the blog of Patricia Tenório.

“Reverence” in “Grains” | Patricia Tenório (PE – Brasil).

VIIth MEETING OF LITERATURE FOR CHILDWOOD AND YOUTH AND IInd INTERNATIONAL MEETING OF LITERATURE FOR CHILDWOOD AND YOUTH OF UNICAP | Coord. Prof. Robson Teles (PE – Brasil).

Poem of the Day | Alcides Buss (SC – Brasil).

“A heron on the asfalt” | Clauder Arcanjo (RN – Brasil).

“Documenting new spaces: the home videos of Derek Jarman” | Adriana Pinto Azevedo (RJ – Brasil).

“The rebels: Beat Generation and mystical anarchism” | Claudio Willer (SP – Brasil).

And the news of the Cultural Supplement of Santa Catarina (84) [ô catarina] (SC – Brasil): www.fcc.sc.gob.br/ocatarina

I appreciate the kindness and contribution of each and all, the next post will be on 30th November, 2014, a big hug and see you there,

Patricia Tenório.

___________________________________

foto 1

foto 2

foto 3

foto 4

foto 5

foto 6

foto 7

foto 8

foto 9

foto 10

foto 11

foto 12

foto 13

foto 14

foto 15

foto 16

foto 20

**

___________________________________

* Índex foi traduzido apenas para o inglês por uma questão de extensão do post. Este mês, por causa do 2º turno das eleições (26 de Outubro de 2014), antecipamos o envio da Newsletter.

* Index was translated into English only as a matter of the extension of the post. This month, because of the 2nd turn of the elections (26th October, 2014), we anticipate the sent of the Newsletter.

**Oh! Porto Alegre! 

VII ENCONTRO DE LITERATURA INFANTOJUVENIL E II ENCONTRO INTERNACIONAL DE LITERATURA INFANTOJUVENIL DA UNICAP | Coord. Prof. Robson Teles

encontro-de-literatura-infanto-juvenil-2014-2

 

PROGRAMAÇÃO

Dia 29/10

18h30 às 21h30

Auditório G1 – Bloco G, 1º andar

 

AberturaPe. Pedro Rubens (Reitor da UNICAP)

Prof. Degislando Nóbrega (Diretor do CTCH/UNICAP)

Profª Flávia Silveira (Coordenadora do Curso de Letras/UNICAP)

 

ConferênciaUM OLHAR POÉTICO SOBRE AS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O PICADEIRO – Williams Santana(Ator/Encenador/Palhaço/Historiador/ Especialista em Gestão Cultural/Mestrando em Cultura e Sociedade pela UFBA/Presidente do Centro CARCARÁ/Professor do Curso de Especialização em Gestão Cultural da UFBA/Gestor do Teatro Luiz Mendonça do Parque Dona Lindu)

 

MESA 1 – LITERATURA E CIRCO: INTERDISCURSOS

 

Fátima Pontes (Diretora da Escola Pernambucana de Circo)

Liliane Jamir (Doutora em Literatura e Cultura/Professora da FAFIRE)

 

Luciano Pontes (Escritor/Ator/Palhaço/Contador de Histórias da Cia Meias Palavras) – DAS BOBICES E DAS COISAS SÉRIAS NA LITERATURA PARA A INFÂNCIA

 

Coordenação: Prof. Robson Teles

Dia 30/10

17h às 18h30

SESSÃO DE COMUNICAÇÕES – Sala 405, Bloco B, 1° andar

 

19h às 21h30

Auditório G1 – Bloco G, 1º andar

 

 

MESA 2: INTERFACES

 

Patricia Tenório (Escritora/Mestranda em Teoria Literária/UFPE) – “A CRIANÇA E A MARIONETE”, DE HENRI ROUSSEAU E “O ANIVERSÁRIO DA INFANTA”, DE OSCAR WILDE: UMA TEORIA DA FICÇÃO

 

Camila Herculano (Graduanda em Psicologia pela FG) – A INFLUÊNCIA DO CIRCO NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA

 

Giulia Cooper (Atriz/Artista Circense/Fundadora da Caravana Tapioca/Graduanda em Filosofia-UNICAP) – FORMAS DE COMICIDADE: O RISO NO CIRCO E NA LITERATURA A PARTIR DE BERGSON

 

Maria do Carmo de Siqueira Nino (Professora da UFPE/Doutora em Artes Plásticas e Ciência das Artes/Artista Plástica) – CINEMA E CIRCO: UMA CINEMATOGROFIA

 

Coordenação: Profª Haidée Fonseca

 

Dia 31/10

19h às 21h30

Auditório G1 – Bloco G, 1º andar

 

Ivonete Melo (Atriz/Presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos de Pernambuco-SATED) – PROFISSÃO CIRCENSE E SUAS DEMANDAS

 

Carmen Teresa Navas Reyes (Cônsul Geral da República Bolivariana da Venezuela em Recife) – INTERCÂMBIO CULTURAL

 

Palestra 1: PANORAMA DO CIRCO NA VENEZUELA – Niky García (Diretor da Fundação do Circo Nacional de Venezuela/Ator/Artista Circense/Especialista Cultural)

 

Palestra 2: PANORAMA DO CIRCO NO BRASIL – Zezo Oliveira (Artista/Diretor de Artes em Circo/Ex-Diretor da Escola Nacional de Circo do Brasil/Assistente em Artes Circenses da SECULTE-PE/Mestre em Educação pela UNIRIO)

 

Encerramento: Performance com Niky García