Posts com Español

Índex* – Janeiro, 2021

Cantar a vida,

Chorar a morte,

Numa ilusão perdida,

Na descrença da sorte.

Esta vida não é escolhida,

É uma viagem sem passaporte,

Sem rumo e indefinida,

Até que a morte nos transporte.

Aí teremos a certeza

Do infinito e sua beleza,

De um bem que nos conforte.

(“Vida e morte” em Memórias de tio Bá. Aldemar Torres Filho. Apresentação: Patricia Tenório. Arte gráfica: Jaíne Cintra. Recife-PE: Edição do autor, 2012)

Do pó

Vieste

Ao pó

Voltaste

Mas para sempre

Habitas

Os nossos corações

*

Nos teus

Versos

Risos

Na tua

Alma

De poeta

*

Cantando

A musa

Renilda

Encantando

A todos

Com o teu

Pó de

Estrelas

(“As eternas memórias do tio Bá”, Patricia Gonçalves Tenório, 20/01/2021, 17h)

Partidas e chegadas no Índex de Janeiro, 2021 do blog de Patricia Gonçalves Tenório.

EECs 2021 | Os mundos de dentro | Osman Lins (PE – Brasil) – escritor convidado Adriano Portela (PE – Brasil).

Coleção Quarentena | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil) com depoimentos de Bernadete Bruto (PE – Brasil), Elba Lins (PB/PE – Brasil) e Raldianny Pereira (PB/PE – Brasil).

Escrita Criativa em mim | Patricia Gonçalves Tenório & Flavia Cosma (Romênia/Canadá), Fernando de Mendonça (SP/PE/SE – Brasil), Maria do Carmo Nino (PE – Brasil).

Poema de Altair Martins (RS – Brasil).

A nota amarela: seguida de “Sobre a escrita – um ensaio à moda de Montaigne” | Gustavo Melo Czekster (RS – Brasil).

Ficção & Crítica | Iaranda Barbosa (PE – Brasil).

O lado que não era visível para quem estava na estrada | Luís Roberto Amabile (SP/RS – Brasil).

Manuela Bertão (Porto – Portugal) recita.

Os continentes de dentro | María Elena Morán (Venezuela/ RS – Brasil).

E os links do mês:

Antonio Aílton (MA – Brasil):

https://osintegrantesdanoite.blogspot.com/2021/01/textual_10.html

Marly Mota (PE – Brasil):

https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/opiniao/2021/01/escritores-artistas-pintores-e-suas-essencialidades.html

Agradeço a atenção e o carinho de sempre, a próxima postagem será em 28 de Fevereiro de 2021, grande abraço e até lá,

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

Index* January, 2021

Singing life,

Crying death,

In a lost illusion,

In disbelief of luck.

This life is not chosen,

It’s a trip without a passport,

Aimless and undefined,

Until death transports us.

Then we will be sure

Of the infinite and its beauty,

A good that will comfort us.

(“Life and death” in Memories of Uncle Bá. Aldemar Torres Filho. Presentation: Patricia Tenório. Graphic art: Jaíne Cintra. Recife-PE: Author’s edition, 2012)

From dust

You came

To dust

You came back

But forever

You live in

Our hearts

*

In your

Verses

Laughs

In your

Soul

Of  poet

*

Singing

Your muse

Renilda

Enchanting

To all

With your

Dust of

Stars

(“Uncle Bá’s Eternal Memories”, Patricia Gonçalves Tenório, 1/20/2021, 5 pm)

Departures and Arrivals in the January Index, 2021 of Patricia Gonçalves Tenório’s blog.

EECs 2021 | The worlds from within | Osman Lins (PE – Brasil) – guest writer Adriano Portela (PE – Brasil).

Quarantine Collection | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil) with testimonials from Bernadete Bruto (PE – Brasil), Elba Lins (PB/PE – Brasil) e Raldianny Pereira (PB/PE – Brasil).

Creative Writing in Me | Patricia Gonçalves Tenório & Flavia Cosma (Romania/Canada), Fernando de Mendonça (SP/PE/SE – Brasil), Maria do Carmo Nino (PE – Brasil).

Altair Martins’ poem (RS – Brasil).

The yellow note: followed by “On writing – a Montaigne-style essay” | Gustavo Melo Czekster (RS – Brasil).

Fiction & Criticism | Iaranda Barbosa (PE – Brasil).

The side that was not visible to those on the road | Luís Roberto Amabile (SP/RS – Brasil).

Manuela Bertão (Porto – Portugal) recites.

The continents from within | María Elena Morán (Venezuela / RS – Brasil).

And the links of the month:

Antonio Aílton (MA – Brasil):

https://osintegrantesdanoite.blogspot.com/2021/01/textual_10.html

Marly Mota (PE – Brasil):

https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/opiniao/2021/01/escritores-artistas-pintores-e-suas-essencialidades.html

I thank you for your attention and affection, the next post will be on February 28, 2021, big hug and until then,

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

**

____________________________________________

* Índex foi traduzido (a maior parte) apenas para o inglês por uma questão de extensão do post.

* Index was translated (most of it) into English only as a matter of the extension of the post.

** Uma homenagem aos tão queridos tio Bá (em sua cerimônia de Cinzas, no Jardim do Baobá, Recife, PE – Brasil) e Tarcísio Pereira (grande homem, livreiro, mestre que nos deixou em 26/01/2021). A tribute to the loved ones Uncle Bá (in his Ash ceremony, in Baobab Garden, Recife, PE – Brasil) and Tarcísio Pereira (great man, bookseller, master who left us on 01/26/2021).

Escrita Criativa em mim* | Patricia Gonçalves Tenório**

Janeiro, 2021

Capítulo 6 – Os mundos de dentro: residências de artistas e o ambiente acadêmico

            No capítulo 5, investigamos o que o dia a dia em uma editora – a preparação dos originais, a revisão do texto, a editoração do livro – pode acrescentar (e muito) na própria escrita.

            Em 2012, ingressei na Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na condição de aluna ouvinte. Ao sair da Calibán (2010) e, ao término do espetáculo teatral As joaninhas não mentem (2011), senti novamente o vazio que Clarice Lispector narra em sua última entrevista,[1] como se estivesse falando de dentro de um túmulo.

            E quantas maravilhas encontrei na UFPE: colegas (Antonio Aílton, Fernando de Mendonça, Ricardo Nonato, entre inúmeros), professores (Maria do Carmo Nino, Lourival Holanda, Anco Márcio Vieira, entre tantos) e livros teóricos (Maurice Blanchot, Gaston Bachelard, Erich Auerbach, entre infinitos) – todos altamente queridos e poéticos. Haviam me alertado de o perigo da Teoria engessar a Poesia, de a Crítica paralisar a Ficção. Mas não aconteceu comigo. Ao contrário, a leitura e a escrita teóricos alimentaram mais ainda a minha veia artística, provocaram mais ainda em mim a criação.

            Em 2013, fui convidada para uma residência de artista em Val-David, Québec, Canadá. Conheci a poetisa romena Flavia Cosma através do poeta francês Denis Emorine, que por sua vez me foi apresentado pela poetisa francesa Isabelle Macor-Filarska – a mesma Isabelle do capítulo 2 da presente coluna. Tudo isso de maneira virtual, com exceção de Isabelle – é o que chamo de corrente do bem da Arte. Na residência de artista de Flavia Cosma, poderíamos realizar qualquer tipo de expressão (fotografia, pintura, escrita poética ou ficcional) que desejássemos. Permaneci dez dias na pequena cidade de Val-David, convivendo com os colegas artistas, culminando, coletivamente, no IV Festival Internacional de Val-David, e, em particular, na tradução do poeta argentino Luís Raúl Calvo e o seu A outra obscuridade, além da organização do meu Sans nom/Fără nume,[2] uma coletânea de crônicas, contos e poemas lançada em outubro 2013 na França (Paris) e em maio de 2014 na Romênia (Alba Iulia) – mas essa é uma outra história.

            Acabo de chegar da residência da minha professora e orientadora de mestrado Maria do Carmo Nino. Acabo de conhecer o anexo de sua residência de artista, e me encontrar com o colega-amigo-escritor-professor Fernando de Mendonça. Sim, a Teoria não paralisa a Poesia. Sim, as residências de artistas acolhem com afeto Os mundos de dentro[3] da Escrita Criativa em mim, em você, em todos nós.


___________________________________

Festival Internacional de Val-David, Québec – Canadá, na residência de artista de Flavia Cosma, maio de 2013.

Futura residência de artista de Maria do Carmo Nino, Aldeia, PE – Brasil e o encontro com Fernando de Mendonça.

___________________________________

* Coluna publicada mensalmente nos blogs www.veragora.com.br/tesaoliterario e www.patriciatenorio.com.br.      

** Escritora, vinte livros publicados, sendo um em formato vídeo-podcast, mestre em Teoria da Literatura (UFPE) e doutora em Escrita Criativa (PUCRS). Contatos: grupodeestudos.escritacriativa@gmail.com e https://www.youtube.com/estudosemescritacriativa

[1] A última entrevista da autora de A hora da estrela encontra-se em Panorama com Clarice Lispector (1977): https://www.youtube.com/watch?v=ohHP1l2EVnU      

[2] CALVO, Luís Raúl. La Otra Oscuridad. A outra obscuridade. Tradução: Patricia Tenório. Mossoró, RN: Sarau das Letras, 2013, & TENÓRIO, Patricia. Sans nom/Fără nume. Trad. Français: Patricia Tenório et colab. Isabelle Macor-Filarska. Trad. Rom.: Flavia Cosma. Pref.: Christian Tămas. Romania: Ars Longa, 2013.        

[3] Os mundos de dentro é um projeto dos Estudos em Escrita Criativa On-line para 2021. Nele investigamos o processo de escrita em suas residências de escritores do século XX, tais como Osman Lins, Manuel Bandeira, Vinícius de Moraes, Hilda Hilst, e também compartilhamos o processo de criação de escritores contemporâneos, entre eles Adriano Portela, Altair Martins, Fernando de Mendonça, Maria do Carmo Nino. Maiores informações: www.estudosemescritacriativa.com, Instagram e Facebook (@estudosemescritacriativa).         

Ficção & Crítica* | Iaranda Barbosa**

_____________________________________

* Salomé. Iaranda Barbosa. 1. ed. Recife: Selo Mirada, 2020 & Horizontes de La Escalera: A presença do modo fantástico na poesia latino-americana. Iaranda Jurema Ferreira Barbosa. Orientador: Alfredo Adolfo Cordiviola. Recife: UFPE, 2020.

** Iaranda Barbosa é crítica literária, escritora e professora formada em Licenciatura Português-Espanhol pela Universidade Federal de Pernambuco. Possui mestrado e doutorado em Teoria da Literatura, pela mesma instituição. Salomé é a sua primeira novela publicada, porém outros textos ficcionais e teóricos podem ser encontrados em periódicos especializados e em antologias.

Índex* – Outubro, 2020

Quando leio

Os olhos teus

Têm passagens preciosas

Cenas misteriosas

De um tempo

Que não é

Meu

*

Eu caminho

Por veredas

Inesperadas

Vales

Montanhas

Escarpadas

E posso

Com a ponta

Dos meus dedos

Sentir a pele

Das palavras

De quando

A tua história

Se escreveu

(“Quando a escrita visita a leitura”, Patricia Gonçalves Tenório, 02/10/2020, 05h34)

Quando a escrita visita o Índex de Outubro, 2020 no blog de Patricia Gonçalves Tenório.

Estudos em Escrita Criativa On-line – Outubro, 2020 | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil) & Companhia.

Escrita Criativa em mim – Capítulo 3 – Literatura e outras artes | Patricia Gonçalves Tenório.

Poema Trilingue de Antonio Aílton (MA – Brasil).

Poema de Cilene Santos (PE – Brasil).

Sinos = Campanas | Clauder Arcanjo (RN – Brasil).

Perfume de Elba Lins (PB/PE – Brasil) | Patricia Gonçalves Tenório.

apaguei a playlist / comecei a dançar | Fernando de Albuquerque (PE – Brasil).

E os links do mês:

“Corruíras” de Alcides Buss: http://www.alcidesbuss.com/

Curso de Narrativas de Terror com Andrezza Postay e Bibiana Simionato (RS/PE – Brasil): https://www.sympla.com.br/narrativas-de-terror__969064

Salomé, de Iaranda Barbosa (PE – Brasil): www.catarse.me/salome

Arte Agora – Entrevista de Patricia Gonçalves Tenório para Alexandre Santos e Bernadete Bruto (PE – Brasil):  https://youtu.be/VyB69WRZQX0

Obrigada pela atenção e pelo carinho de sempre, a próxima postagem será em 29 de Novembro, 2020, abraço bem grande e até lá,

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

Index* October, 2020

When I read

Your eyes

There are precious passages

Mysterious scenes

From a time

That is not

Mine

*

I walk

By unexpected

Paths

Valleys

Rugged

Mountains

And I can

With the tip

Of my fingers

Feel the skin

Of words

Of when

Your story

Was wrote

(“When writing visits reading”, Patricia Gonçalves Tenório, 10/02/2020, 05h34 a.m.)

When writing visits the October Index, 2020 on Patricia Gonçalves Tenório’s blog.

Online Creative Writing Studies – October, 2020 | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil) & Company.

Creative Writing in Me – Chapter 3 – Literature and other arts | Patricia Gonçalves Tenório.

Trilingual Poem by Antonio Aílton (MA – Brasil).

Poem by Cilene Santos (PE – Brasil).

Bells = Campana | Clauder Arcanjo (RN – Brasil).

Perfume of Elba Lins (PB/PE – Brasil) | Patricia Gonçalves Tenório.

I deleted the playlist / started dancing | Fernando de Albuquerque (PE – Brasil).

And the links of the month:

“Corruíras” by Alcides Buss: http://www.alcidesbuss.com/

Horror Narratives Course with Andrezza Postay and Bibiana Simionato (RS / PE – Brasil): https://www.sympla.com.br/narrativas-de-terror__969064

Salomé, by Iaranda Barbosa (PE – Brasil): www.catarse.me/salome

Arte Agora – Interview by Patricia Gonçalves Tenório to Alexandre Santos and Bernadete Bruto (PE – Brasil): https://youtu.be/VyB69WRZQX0

Thank you for your attention and affection, the next post will be on November 29, 2020, big hug and until then,

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

____________________________________________

* Índex foi traduzido (a maior parte) apenas para o inglês por uma
questão de extensão do post.

* Index was translated (most of it) into English only as a matter of the extension of the post.

** Quando a escrita visita a leitura dos livros bons. When writing visits reading of good books.

Sinos = Campanas* | Clauder Arcanjo**

Quero a brevidade da arte, que se

eterniza nos dobres de um sino e no

ombro do pássaro fugaz.

*

Quiero la brevedad del arte, que se

eterniza em los repiques de uma campana

y en el hombro del pájaro fugaz.

(Clauder Arcanjo)

Sinos de espanto

*

Na manhã, palco das hóstias do sol

Ouvi o espanto de outra partida

: melada de entrega, fé e silêncio

Benta por lágrimas de dor maior.

*

O sino de vidro repicava o espanto

Convite para o acalanto da morte

No cemitério, arrepiava-me, seria

Plantada a semente de mais um anjo.

*

Campanas de temor

*

En la mañana, palco de las hóstias del sol

Oí el temor de otra partida

: pegajoso de entrega, fe y silencio

Bendita por lágrimas de gran dolor.

*

La campana de vidrio repicaba el temor

Invitación para el canto de cuna de la muerte

En el cementerio me escalofriaba, como

Plantada la simiente de otro ángel.

*

Sinos de maio

*

De onde me vem este cheiro de maresia,

Se meu mundo é sertanejo, árido e seco?

De onde me surge este azul nos olhos,

Se minha tristeza é cinza, pó e brejeira?

De onde me surge este verso de encanto,

Se minha dor só pune e fere, tal carpideira?

*

No calendário, a folhinha de maio balança,

Ao som dos sinos, festivos neste maio incomum.

*

Campanas de mayo

*

¿De dónde me sienten este olor de marea,

Si mi mundo es sertanejo***, árido y seco?

¿De donde me surge este azul en los ojos,

Si mi tristeza es ceniza, polvo y nostalgia?

¿De donde me surge este verso de encanto,

Si mi dolor sólo castiga y hiere, tal plañidera?

*

En el calendario, la hojita de mayo balancea,

Al son de las campanas, festivas em este mayo inusual.

____________________________________________

____________________________________________

* Sinos = Campanas. Clauder Arcanjo. Tradução: Alfredo Pérez Alencart. Fotografias: José Amador Martín, Marcão Melo, Ricardo Chrisóstomo. Mossoró: Sarau das Letras; Salamanca [Espanha]: Trilce, 2019.

** Clauder Arcanjo nasceu em Santana do Acaraú, Ceará, graduado em Engenharia Civil. Editor-Executivo da editora Sarau das Letras, produz e apresenta, na TCM Telecom, o programa Pedagogia da Gestão. Membro da Academia de Letras do Brasil (ALB), da Academia Norte-rio-grandense de Letras (ANRL), da Academia Mossoroense de Letras (AMOL), bem como de outras entidades. Autor dos livros de contos Licânia (2007), Lápis nas veias (2009), Separação (2017) e Mulheres fantásticas (2019); além de Novenário de espinhos – poemas (2011), Uma garça no asfalto – crônicas (2014), Pílulas para o silêncio/Píldoras para el silencio (2014) – aforismos poéticos –, vencedor do Prêmio Geir Campos, da União Brasileira dos Escritores/RJ, do romance Cambono (2016), da novela O Fantasma de Licânia (2018), e d’A província em exílio – discursos (2019). No prelo, Carlos Meireles: ofício de bibliófilo – resenhas literárias.

** Clauder Arcanjo nació en Santana do Acaraú, Ceará, formado en Ingeniería Civil. Editor-Ejecutivo de la editorial Sarau das Letras, produce y presenta, en la TCM Telecom, el programa Pedagogía de la Gestión. Miembro de la Academia de Letras do Brasil (ALB), Academia Norte-rio-grandense de Letras (ANRL), Academia Mossoroense de Letras (AMOL), igual que de otras entidades. Autor de los libros de cuentos Licânia (2007), Lápiz en las venas (2009), Separación (2017) y Mujeres fantásticas (2019); además de Novenário de espinhos – poemas (2011), Una garza sobre el asfalto – crónicas (2014), Pílulas para o silêncio/Píldoras para el silencio (2014) – aforismos poéticos –, vencedor del Premio Geir Campos, de la Unión Brasileña de Escritores/RJ, de la novela Cambono (2016), de la novela El Fantasma de Licânia (2018), y de La provincia en el exilio – discursos (2019). En prensa, Carlos Meireles: oficio de bibliófilo – reseñas literarias.

*** sertanejo: hombre que tiene origen y que vive en el agreste del Nordeste del interior de Brasil.

Os outros | Patricia Gonçalves Tenório*

Uma vez me disseram que o amor perfeito é a literatura.

Concordo quando lembro dos inúmeros romances maravilhosos, contos estupendos, poemas ou ensaios que nos deixaram degustando cada sílaba, palavra, estrofe ou parágrafo, até entranhar em nossos pulmões, e nos fazer levantar para um novo dia.

A literatura nos salva. Nos salva de nós mesmos, das nossas impossibilidades, dos limites que o mundo nos dá, sem ao menos perguntar se teremos condições ou se saberemos superá-los.

A literatura me salva. E lembro dos momentos em que a escrita me retirou do escuro que a vida impôs, e nasceram As joaninhas não mentem, em 2006, Grãos, em 2007, A mulher pela metade, em 2009, D’Agostinho e Diálogos, em 2010, Vinte e um e A menina do olho verde, em 2016. Cada um desses livros respondeu a alguma impossibilidade, eles mostraram que todos somos capazes de chegar ao fundo do poço e retornar à superfície, sentir o frio do escuro da vida e vislumbrar uma luz no fim do túnel.

Mas, principalmente, os outros nos salvam. Li em um poema de Bernadete Bruto (PE, Brasil) que até os inimigos nos acrescentam, porque nos fazem olhar para o próprio umbigo e enxergar nossas imperfeições.

Acredito, e sempre quero acreditar, que viemos para esta vida, para este mundo somente, e apenas somente, para o afeto. Todos queremos amar e sermos amados – este é o amor perfeito. A literatura nos dá o que os seres humanos nos negam. Quem escreve busca nos outros o afeto para o qual fomos feitos, e com o qual fazemos tudo possuir um sentido.

Em novembro de 2019 completei 50 anos de existência. Quantos outros marcaram profundamente a minha vida e que nem pude agradecer o suficiente? Alguns fazem parte inexorável do meu dia a dia. Alguns se foram para uma dimensão diferente da nossa. Alguns estão distantes espiritualmente por causa de desavenças, ou mesmo distantes fisicamente, mas continuam amigos. São para todos os outros da minha vida que dedico cinco livros lançados no meu aniversário, e que contêm um pouco de cada gênero literário que me constituiu escritora, que me forjou pessoa, eles me fizeram ser quem eu sou.

Porque, contradizendo o grande filósofo existencialista francês Jean-Paul Sartre, se permitirmos, o inferno ou o inimigo não são os outros. Somos nós mesmos.

 

________________________________

PATRICIA TENORIO (298)

Lançamento de As joaninhas não mentem (Recife, 2006) com Maria Eduarda, Bruno e Vítor.

PATRICIA TENORIO E O POETA CESAR LEAL,

Lançamento de Grãos (Recife, 2007) com o saudoso César Leal.

PATRICIA TENÓRIO E ISIS AGRA

Lançamento de Diálogos e D’Agostinho (Recife, 2010) com Ísis Agra.

4 - IMG_4313

Lançamento de Vinte e um/Veintiuno (Madri, 2016) com Raúl García.

1 - IMG_4384

Lançamento A menina do olho verde (Recife, 2016) com Beatriz Brenner e Maria do Carmo Nino.

5 - IMG_4581

Lançamento A menina do olho verde (Porto Alegre, 2016) com Marcelo Maldonado, a saudosa Fabiana Castelo Branco, Ana Wertheimer, Cristiano Dal Forno e esposa, Gustavo Czekster, María Elena Morán e esposo, Cyro e Alexandra Lopes da Cunha.

PHOTO-2019-02-16-13-42-44 (1)

Com a turma do curso de Extensão Estudos em Escrita Criativa – Unicap – Língua Inglesa – 2019.1, convidados especiais Bernardo Bueno (RS) e Elba Lins (PE).

IMG_9372

Com a primeira turma do curso de Especialização Lato Sensu em Escrita Criativa Unicap/PUCRS – 2019.2 nas aulas presenciais de Prof. Assis Brasil.

PHOTO-2019-11-10-07-21-26

No Destaque Literário de Novembro, 2019 da Cultura Nordestina, com as amigas que me incentivaram a formar o grupo de Estudos em Escrita Criativa Bernadete Bruto e Elba Lins.

f0c46bf3-eae4-459e-ae79-ce61f3b6e15c

Lançamento da Coleção Cinco Livros (Recife, 21/11/2019) com amigos artistas e escritores queridíssimos.

IMG_9708

Lançamento da Coleção Cinco Livros (Porto Alegre, 25/11/2019) com os queridíssimos Gisela Rodriguez, Taiane Maria Bonita, Irka Barrios e Fred Linardi.

4cc48ac4-ab0d-4fed-8c6c-3fe650a8e96e

E com o tão queridíssimo baluarte da Escrita Criativa no país Luiz Antonio de Assis Brasil no lançamento da Coleção Cinco Livros em Porto Alegre.

________________________________

* Escritora, dezesseis livros, mestre em Teoria da Literatura (UFPE), doutora em Escrita Criativa (PUCRS), ministrante dos Estudos em Escrita Criativa e uma das coordenadoras da primeira turma da Especialização Lato Sensu em Escrita Criativa Unicap/PUCRS. Contatos: patriciatenorio@uol.com.br e www.patriciatenorio.com.br

Índex* – Novembro, 2019

Mas estou aqui

Sob os braços

Da árvore

Frondosa

Que é a vida

 

Ela não me pergunta

Se estou certa

Se estou errada

Apenas

Banha-me com os

Acontecimentos

E deles

Retiro

Alimento

 

Para compor

Alguns versos

Escrever umas

Páginas

E respirar

Feliz

(“Porque a vida me chamou”, Patricia Gonçalves Tenório, 26/10/2019, 19h19)

 

A vida chamando para um novo ciclo no Índex de Novembro, 2019 do blog de Patricia Gonçalves Tenório.

Lembrete | Lançamentos Cinco Livros – Recife e Porto Alegre | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil) & Diversos (PE, PB e RS – Brasil).

Apresentação de Patricia Tenório para o Destaque literário de novembro da Cultura Nordestina, por Elba Lins (PE/PB – Brasil).

Imagens em Transformação | Organização: Ricardo Timm de Souza, Evandro Pontel e Isis Hochmann de Freitas (RS – Brasil).

The Immense Hour | Iacyr Anderson Freitas (MG – Brasil).

E a entrevista com Sandra Bittencourt (Brasil) para o Programa Revista Eletrônica da CBN:

https://www.cbnrecife.com/revistaeletronica/artigo/entrevista-patricia-goncalves-tenorio

Excepcionalmente postamos mais cedo em Novembro, 2019. Agradeço a atenção e o carinho, a próxima postagem será em 29 de Dezembro de 2019, abraço bem grande e até lá,

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

Index* November, 2019

But I’m here

Under the arms

From the tree

Leafy

That is life

 

She doesn’t ask me

If I’m right

If I’m wrong

Only

Bathe me with the

Events

And with them

I retreat

Food

 

To compose

Some verses

Write some

Pages

And breathe

Happy

(“Because life called me”, Patricia Gonçalves Tenório, 10/26/2019, 7:19 pm)

 

Life calling for a new cycle in the November 2019 Index of Patricia Gonçalves Tenório’s blog.

Reminder | Launches of Five Books – Recife and Porto Alegre | Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil) and Miscellaneous (PE, PB and RS – Brasil).

Presentation of Patricia Tenório for the November Literary Highlight of the Northeastern Culture, by Elba Lins (PE/PB – Brasil).

Transforming Images | Organization: Ricardo Timm de Souza, Evandro Pontel and Isis Hochmann de Freitas (RS – Brasil).

The immense hour | Iacyr Anderson Freitas (MG – Brasil).

And the interview with Sandra Bittencourt (Brasil) for the CBN Electronic Magazine Program:

https://www.cbnrecife.com/revistaeletronica/artigo/entrevista-patricia-goncalves-tenorio

Exceptionally we posted earlier in November 2019. Thank you for your attention and affection, the next post will be on December 29, 2019, big hug and until then,

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

IMG_5713

IMG_6270 (1)

IMG_6257

**

____________________________________________

* Índex foi traduzido (a maior parte) apenas para o inglês por uma questão de extensão do post.

* Index was translated (most of it) into English only as a matter of the extension of the post.

** Árvores da minha vida: Bruno, Maria Eduarda e Vítor (Av. Beira Rio e Jardim do Baobá, Recife – PE, 2017), e ipê da PUCRS (Porto Alegre – RS, 2017). Trees of my life: Bruno, Maria Eduarda and Vítor (Beira Rio Avenue and Baobá Garden, Recife – PE, 2017), and PUCRS ipê (Porto Alegre – RS, 2017).

Apresentação de Patricia Tenório para o Destaque literário de novembro da Cultura Nordestina*, por Elba Lins**

Patricia Tenório nasceu em Recife, e, após morar vários anos em Maceió, retorna para aqui cursar Análise de Sistemas na Universidade Católica de Pernambuco.

Foi em Recife que se lançou na literatura. Tudo começou com sua Livraria Domenico que funcionou de março de 2002 a março de 2004. No auditório da Domenico aconteciam palestras, cursos e oficinas em diversas áreas da arte – literatura, música,  cinema …

Em 2004, Patricia quis ser protagonista de sua própria história na literatura e iniciou seu trajeto na Oficina Literária de Raimundo Carreiro, em agosto de 2004. Em dezembro daquele ano, participou da Antologia dos alunos da Oficina – com a crônica “Lentes Cor-de-Rosa”.

Em 2005, Patricia lança o seu primeiro livro, O Major –  Eterno é o Espírito; foi o resultado de um convite da família para escrever a biografia do seu avô paterno – José Tenório, cujo centenário aconteceria naquele ano. Em seis meses cumpre todas as etapas de entrevistar, escrever, revisar. Em 05 de novembro – data do aniversário do avô – acontece o lançamento.

“O milagre está acontecendo. Mergulho na alma de meu avô, conversamos o tempo inteiro, um diálogo imaginário, é verdade. E, a partir desse encontro, começo a perceber o nunca concebido, sequer pensado. É o início de minha cura. Quem sabe  o encontro do grande, maior amor da minha vida?” (TENÓRIO, Patricia. O Major – Eterno  é o espírito, 2005. Pág.73)

No final deste livro Patricia dá um depoimento de como foi compulsivo o seu processo de escrever:

“Ao fechar a Domenico, bateu uma vontade enorme de escrever. Era compulsivo, um caos se instalou em meu ser e tornou-se inevitável. Ou escrevia ou a morte. Meio trágico assim, mas que descobri, no primeiro dia de aula na Livraria Nobel, agosto de 2004, ser essa mesma dor, agonia que todo escritor passa. Então as torneiras se abriram e jorrou tudo. Minha vida, angústias, questionamentos.” (TENÓRIO, Patricia. “Presente – Novembro, 2005” in  O Major – Eterno é o espírito. Pág. 258)

Em 2006, Patricia lança o seu segundo livro, As Joaninhas não Mentem, e em 2011, o livro é adaptado para o teatro. Foi nessa ocasião que conheci a escritora Patricia Tenório.

A fábula As Joaninhas não Mentem conta a história  de Ariana e a viagem em busca de si mesma e do príncipe do amor perfeito.

“A Torre… Para lá se dirigia Ariana. Colocou o elmo na cabeça, apertado era o elmo. Jeito de camponesa, permitindo dores, respirou fundo, conseguiu encaixar sobre os cabelos, cor de sol, peleterra. Olhos castanhos, mar de sonhos brilhava na direção da Torre.

Ariana não vendo a torre e segurava firme as rédeas do cavalo branco apertando com as pernas longas. Longos seriam os caminhos, tortuosos seriam os caminhos, perigosos seriam os caminhos. Mas ela prometeu. A si e à Irmã Clara. Lá estaria o que sempre sonhou. E por que temia?” (TENÓRIO, Patricia. As Joaninhas não mentem, 2006. Pág. 13)

Grãos foi lançado em 2007, e é um livro que deixa espaço para a criatividade, dá asas às próprias fantasias do leitor. E isto é de se esperar, pois já na apresentação Patricia fala:

“Numa sociedade de consumo onde os rótulos e preconceitos são estabelecidos, Grãos se propõe a ser escolhido, plantado no tecido imaginário de cada leitor. Que nele a casca aprisionadora da essência pura do texto se quebre, libertando o que foi despertado no momento mágico: quando quem escreve e quem lê se tornam um.” (TENÓRIO, Patricia. Grãos, 2007. )

Muitas faces da escrita de Patricia vieram à tona em Grãos: de forma cheia de fantasia em “Intervalo” e “O Banho”, de forma fria e realista em “Três Quartos”, ou inesperada em “Labirinto”.

Em A Mulher pela Metade lançado em 2009, tento captar todo o  teor escondido em cada voz… É emoção demais que a escritora Patricia coloca nas vozes de Augusto, Séphora e Sahra. É a crueza, a dureza e toda a beleza da vida em suas várias faces, muito bem espelhada nas várias gravuras de um caleidoscópio, várias faces, que vão se tecendo e se moldando a cada movimento da Terra, a cada girar do caleidoscópio. O livro é rico em metáforas, poemas que brotam ao longo do texto.

“Essa Séphora é o lado que posso mostrar. O lado obscuro de mim, esse, derramo na arte, nos meus quadros incongruentes, feitos de colagem, abstrações e cores fortes, coaguladas, para deitar ali a alma inteira, a alma que não conheço, que me acorda com o quarto revirado à procura de algo que não sei definir.” (TENÓRIO, Patricia. A Mulher pela Metade, 2009. Pág. 17)

Em 2010, são lançados Diálogos e  D’Agostinho. Patricia aproveita a experiência obtida no Curso de Cinema que fez na New York Film Academy em 2010 e transforma em curtas três contos do livro Diálogos. Textos, Edição e Direção: Patricia Tenório. Produção  e Figurino: Jorge Féo.

“Olhos Fechados” – Com Isis Agra e Tiago França

“O domador de  bolas de sabão” – Com Kleber Lourenço

“Prisão Perpétua” – Com Hermínia Mendes, Renata Phaelante e Juan Guimarães.

Os poemas do  livro D’Agostinho nos  remetem a uma busca interior, a uma atmosfera mística, ou a reminiscências contidas na alma. Acompanha o livro CD com os poemas recitados por Karyna Spinelli e Carlos Ferreira. Produção: Jorge Féo. Texto e Direção: Patricia Tenório.

“Dá-me a luz da espada

Para devastar a imensidão do teu saber

Alargar nos limites da ignorância

A tentativa de saber quem és

Saber quem sou

Saber por quê

Saber para quê

 

Diz-me a palavra e calo

Permanecerei séculos a auscultá-la

Poli-la

Pensá-la

E num dia cor de cinza

Uma fagulha escarlate

Em mim se revelará.”

(TENÓRIO, Patricia. “Escarlate” in D’Agostinho, 2010. Pág. 33)

Patricia lança  em 2013 o livro Sans nom / Fără nume, uma coletânea de contos, crônicas e poesias. Trata-se de uma edição bilíngue (Francês/ Romeno) com tradução de alguns dos textos já lançados anteriormente no Brasil em outros livros.

Em 17 de setembro de 2015, a escritora Patricia defende a dissertação de mestrado em Teoria da Literatura pela Universidade Federal de Pernambuco na linha de pesquisa Intersemiose, O retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde: um romance indicial, agostiniano e prefigural, sob a orientação da Prof. Dra. Maria do Carmo de Siqueira Nino.

Em 2016, é lançado Vinte e Um / Ventiuno – um livro de contos em edição bilíngue (português/ espanhol). Neste livro chamo atenção especial para os contos  “Um olhar sobre Istambul”, “O dia da minha vida”, “Da cuore”,  “Eu, Comigo e Deus” e “ Vinte e um”.

Um novo livro chega às livrarias em 2016. É A Menina do Olho Verde – uma bela  fábula que reflete a vida e as decisões que somos levados a tomar para descobrir o nosso lugar no mundo.

“Precisava descobrir o seu destino, e se esquecera de perguntar o seu destino ao Mestre da barba branca e longa. (…) Procurou no Mapa amarelecido um ponto de encontro entre o agora e o amanhã,  entre o aqui e o acolá,  e percebeu tão assustada que o Mapa ia se fazendo à  medida que ela o fazia,  e os personagens iam se desenhando como se saíssem de sua imaginação.” (TENÓRIO, Patricia. A Menina do Olho Verde, 2016. Pág. 19).

Em 2016, Patricia criou um grupo experimental para Estudos em Escrita Criativa. O grupo se encontrou entre agosto de 2016 a dezembro de 2017. Com esse objetivo, eram utilizados os mais variados recursos: obras literárias de autores clássicos e contemporâneos – romances, contos, poemas e textos teóricos –, e também filmes, esculturas e pinturas, músicas. Com a mesma finalidade, o grupo experimental ainda se reúne esporadicamente.

Em 2017, com o apoio da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, aconteceu em outubro o I Seminário Nacional em Escrita Criativa de Pernambuco durante a Bienal, onde foi lançado o livro Sobre a Escrita Criativa I.

Em 2018, Patricia abre o grupo de Estudos em Escrita Criativa para a participação do grande público. Ocorrem então, em Recife e Porto Alegre, oito encontros mensais e temáticos sob a coordenação de Patricia Tenório, na Livraria Cultura. No último encontro foi lançado o Sobre a Escrita Criativa II.

Em 8 de outubro de 2018, Patricia defende sua tese de doutorado na PUC do Rio Grande do Sul. Dele resultou a novela Doze horas.

Doze  horas  é  uma  novela  ensaística  em  três  camadas.  Narrada  em  terceira  pessoa  do singular,  conta  a  história  de  Arabella Fantini,  quarenta  e  cinco  anos,  solteira  e  sem  filhos, nascida em Recife,  residente em Porto Alegre,  Brasil,  e  museóloga  do Museu de  Arte  do Rio  Grande  do  Sul  –  MARGS.  Ela  traz  à  tona  artistas  desconhecidos,  e,  uma  bela  tarde, recebe  a  carta  com  fotografias  da  obra  de  Fernandes  Vieira,  artista  português  que  o remetente  afirma  ter  conhecido  seu  pai,  desaparecido  desde  os  treze  anos  da  museóloga. Toda  a  narração  é  feita  durante  o  voo  de  doze  horas  para  Lisboa,  resgatando  o  passado, descrevendo  o  presente,  antecipando  o  futuro,  criando  diálogos  imaginários  com  ‘o  rapaz ao  lado’.”

No primeiro semestre de 2019, aconteceu na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) sob a coordenação de Patricia cinco encontros mensais dos Estudos em Escrita Criativa.

No segundo semestre de 2019, foi lançada na Unicap em parceria com a PUCRS, a Especialização Lato Sensu em Escrita Criativa com duração de catorze meses.

Agora em 21 de novembro de 2019,  teremos o lançamento conjunto de cinco livros de Patricia: O romance que resultou de sua tese de doutorado – Doze horas: O mito individual em uma autobioficção, um livro de poesia, um de contos, outro de ensaios e um ainda com a seleção de alguns textos e poemas publicados ao longo de sua carreira.

Está programado para ser lançado em 2020, no final do curso de pós-graduação,  o  livro Sobre a Escrita Criativa III.

O lançamento dos cinco livros, programado para 21 de novembro, será uma grande comemoração, pelos 50 anos de Patricia e por seus 15 anos de vida literária.

_________________________________

PHOTO-2019-11-10-07-21-23

PHOTO-2019-11-10-07-21-24

PHOTO-2019-11-10-07-21-25

PHOTO-2019-11-10-07-21-26

PHOTO-2019-11-10-07-21-28

* Apresentação realizada em 09/11/2019 no Destaque Literário (projeto de Bernadete Bruto, coordenação de Eugênia Menezes e Taciana Valença) na Cultura Nordestina (de Salete do Rêgo Barros) Recife  PE. Contato: blog.culturanordestina.com.br

** Elba Santa Cruz Lins (Monteiro/PB, 1957) é formada em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco (1979), fez MBA em Gestão de Negócios (EAD) pela PUC-PR. Trabalhou durante 34 anos na área de Telecomunicações da CHESF (Companhia Hidroelétrica do São Francisco). Atualmente aposentada, dedica-se à escrita. Fez curso de Contação de Histórias no Zumbaiar (Recife). Faz poesias, há três anos participa dos Estudos em Escrita Criativa, sob a coordenação de Patricia Gonçalves Tenório, e cursa a Especialização Lato Sensu em Escrita Criativa  Unicap/PUCRS. Lançou em 2017 seu primeiro livro de poemas, Do outro lado do espelho: O feminino em estado de poesia. Contato: elbalins@gmail.com

Índex* – Junho, 2019

Um herói

Nasce

Em cada

Gesto meu

Em cada

Monte alto

Que escalo

Em busca

De um novo

Sonho

Em luta

Por uma nova

Estrela

Que cabe

Aqui

Na minha mão

Que prego

Aqui

No meu peito

E nada

Ninguém

Consegue

De mim

Separar

(“Sonho de uma Escrita Criativa”, Patricia Gonçalves Tenório, 19/06/2019, 15h34)

 

Um sonho de Escrita Criativa se realiza no Índex de Junho, 2019 do blog de Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil).

Especialização em Escrita Criativa – Unicap/PUCRS e EEC de Junho, 2019 | Diversos.

Metafísica do poema | Alcides Buss (PR – Brasil).

O voo da trapezista | Amilcar Bettega Barbosa (RS – Brasil).

“Cerzir” | Antonio Ailton (MA – Brasil).

“Desconstrucción de los rostros y otros poemas” | Luis Raúl Calvo (Argentina).

O CURATO DE BOM JARDIM | Marly Mota (PE – Brasil).

“A estética da indiferença” | Sidney Rocha (PE – Brasil).

Agradeço a atenção e o carinho de sempre, a próxima postagem será em 28 de Julho, 2019, grande abraço e até lá,

 

Patricia Gonçalves Tenório.

____________________________________________

 

Index* – June, 2019

A hero

Is born

In each

Gesture of mine

In each

Tall mountain

That I climb

In search

Of a new

Dream

In fight

For a new

Star

That it fits

On here

In my hand

That I nail

On here

In my chest

And nothing

Nobody

Can

Of me

Separate

(“Dream of a Creative Writing”, Patricia Gonçalves Tenório, 06/19/2019, 15h34)

 

A dream of Creative Writing takes place in the June, 2019 Index on the blog of Patricia Gonçalves Tenório (PE – Brasil).

Specialization in Creative Writing – Unicap/PUCRS and EEC of June, 2019 | Several.

Metaphysics of the poem | Alcides Buss (PR – Brasil).

The flight of the trapeze artist | Amilcar Bettega Barbosa (RS – Brasil).

“Cerzir” | Antonio Ailton (MA – Brasil).

“Deconstruction of faces and other poems” | Luis Raúl Calvo (Argentina).

THE CURATO OF GOOD GARDEN | Marly Mota (PE – Brasil).

“The aesthetics of indifference” | Sidney Rocha (PE – Brasil).

Thank you for the attention and affection of always, the next post will be on July 28, 2019, big hug and until then,

 

Patricia Gonçalves Tenório.

 

____________________________________________

IMG_6681

IMG_6694

IMG_6722

IMG_6830

IMG_7638

IMG_7743

PHOTO-2019-02-16-13-42-44 (1)

Foto João Alderney

____________________________________________

 

* Índex foi traduzido (a maior parte) apenas para o inglês por uma questão de extensão do post.

* Index was translated (most of it) into English only as a matter of the extension of the post.

** Os longos, tortuosos, perigosos passos de um sonho. The long, tortuous, dangerous footsteps of a dream.

 

“Desconstrucción de los rostros y otros poemas” | Luis Raúl Calvo*

Libro Luis Raúl Calvo Deconstrucción de los rostros y otros poemas

* Contactoluisraulcalvo@gmail.com