Ao usar nosso site, você está aceitando o uso dos nossos cookies.

Índex* – Agosto, 2013

  E no vai e vem das pernas Eles dançam as palavras De uma ausência A perda do silêncio A música batendo No peito ardente De uma nota só (Dança, Patricia Tenório, 17/08/13) Diálogos intersemióticos, entre artes, entre línguas, entre nações no Índex de Agosto,…

Revisitando Patricia Tenório* – Agosto, 2013

Nesta edição, revisitamos “O Grito”, de Abril de 2012. Link Permanente: http://www.patriciatenorio.com.br/?p=3514   O Grito**    No começo foi o grito. Anésia Pacheco e Chaves               Acendo o abajur e a lâmpada queimada não ajuda a chegar ao banheiro, lavar o rosto, olhar no…

¿Cuál es la verdad de la vida? – Luis Raúl Calvo

Selecionei algumas poesias cantadas, “canções urbanas” de Luis Raúl Calvo, do CD “Qual é a verdade do vivido?”… Espero que aproveitem… Contato: luisraulcalvo@gmail.com  _____________________________   He escogido algunos poemas cantados, “canciones urbanas” de Luis Raúl Calvo, del CD “¿Cuál es la verdad de la vida?”……

“Poemas nus”* | Marcia Barroca**

Livre voo   Meu deserto desarmado dos ventos castiga palavras soltas estribilhos   canções contidas na armadilha dos versos redondilhas   Silêncios ecoam   Não mais escondo minhas asas negras Livre voo em outras companhias   Multiplico fogos de artifício em festa constante   O…

Crônicas | Marly Mota*

Solo de Clarineta**   O vento espalhava o cheiro dos jasmins e o solo de clarineta invadia  ruas e casas ao cair da tarde. Os jasmins vinham nos cabelos de Marieta, Enrodilhados às tranças do seu cocó. A prima saía, calçada afora, dando boas-tardes aos…

Poesie di Dario Amadei* | Traduzione Alfredo Tagliavia**

Libero Dario Amadei    Vidi la luce, in un giorno di nebbia eppure amo l’aria cristallina. Vecchio mi sento fin da quando nacqui destinato però a giovinezza eterna. Schiavo son della vita ma non ho un padrone, libero sempre di vagare a vuoto.   Livre…

Tergiversaria* | Clauder Arcanjo**

Da dor, entenda-me, falarei apenas da noite passada, Dos ritos adiados, dos risos quase salvos, flagrados Nos lábios tímidos, impressos na frialdade do instante.   Da noite, contenho-me, falarei tão só da tarde anterior, Dos casais enamorados, dos amores quase calmos, rescaldos Nos olhos úmidos,…

Canto peregrino à jerusalém celeste* | Abílio Pacheco**

bet   à lembrança ou reminiscência como em “sonho imaginado” sentimos mais branda a saudade e estes instantes felizes são como estar em sião   mas, se despertos e atentos nos vemos, então, cercados de tantos novos edomitas, cuidai, Senhor, que eles um dia se…