Ao usar nosso site, você está aceitando o uso dos nossos cookies.

Índex* – Abril, 2013

Morri pela beleza, mas estava apenas No sepulcro acomodada Quando alguém que pela verdade morrera Foi posto na tumba ao lado.   Perguntou-me, baixinho, o que me matara: “A Beleza”, respondi. “A mim, a Verdade – são ambas a mesma coisa, Somos irmãos.”   E…

Revisitando Patricia Tenório* – Abril, 2013

Revisitando traz na edição de Abril duas postagens: “Sans nom“, de Dezembro de 2011 (link permanente http://www.patriciatenorio.com.br/?p=2894). E uma costura de textos, pensamentos e imagens de Outubro de 2010, “Contradições” (link permanente: http://www.patriciatenorio.com.br/?p=409). ____________________________   Sans Nom* – Patricia Tenório & O Mundo – III Traduction: Patricia…

DE CLYTIE PARA APOLLO* | Rita de Cássia Amorim Andrade**

  Ó deus do Sol! quebraste-me o corpo esmagaste-me a alma enraizaste-me e não me deste a água. Esqueceste, no entanto, ao fazer-me flor, alimentavas-me com os teus raios.   Já fui um dia Ninfa das Águas, bela, transparente, nua. Ressurgida do meu habitat para…

Arte, Poesia & Cidade| Almandrade

  O RETORNO E A DÚVIDA DA POESIA      p/ Almandrade A poesia é um conhecimento à parte da razão tecnocrata que rege a sociedade contemporânea. Hoje em dia, o homem se defronta com outras oportunidades de linguagens, outros conhecimentos, que deixou de lado o…

Círculo Poético de Xique-Xique* | Organização Ricardo Nonato*

  Sentir (July Ane)   Os olhos não sentem Eles só                Chovem Quando necessitam sair E não podem     Estranho (Emille Novaes)   Essas paredes estão muito brancas Muito limpas Miseravelmente pálidas… Há alguém aqui dentro Que desconheço.   Sonho (Rogério Martins)…

Poemas de Ricardo Nonato*

  Quem parte Na promessa de voltar Sabe ser a saudade Um presente habitado. A QUARTA PARTE DA SAUDADE O meu dia chegará azul Não o turquesa dos cortinados Do quarto em que me deito Escuro Mas celeste Longe, Muito longe dos teus dedos. ACONTECER…

Revolta | Clauder Arcanjo*

  Revolto-me com a brisa Que não me conforta Apenas tão só me irrita.   Revolto-me com esse sol Que não me aquece Apenas tão só me irrita.   Revolto-me com a poesia Que não me aparece Apenas tão só me irrita. ________________________ * Clauder…

Poemas* de Orley Almeida

  (clave: caderno de poesia)   Poema 4   Sinto estar só; Mas, se alguém Ao lado houvesse, Também seria O que se esquece   (o vocábulo das horas)   Bem sabe o dia O vocábulo das horas – Lápide de esquecimento – A construir…