Ao usar nosso site, você está aceitando o uso dos nossos cookies.

Índex* – Julho, 2012

  A palavra foi dada ao homem para esconder seu pensamento. R. P. Malagrida   O retorno às raízes no Índex de Julho do blog de Patricia Tenório. O enigma de Kasper Hauser nos questionando sobre o silêncio e a palavra – Patricia Tenório. A crônica arqueológica…

O enigma de Kasper Hauser | Patricia Tenório*

“Não escuta esse terrível pranto ao seu redor? Esse pranto que os homens chamam silêncio?” (WERNER HERZOG, 1974)   Um homem-menino trancado em uma alta torre desde o nascimento, não conhece outros homens nem seus hábitos, costumes. Ele e seu brinquedo de madeira, um cavalo…

Um homem obscuro* | Franklin Jorge

  A Laurence Nóbrega   De Aruanã a Cocalinho, que fica do outro lado, em território do Mato Grosso, é um pulo, ensina Maci; são dezesseis léguas rio abaixo. Ao chegar, faça atracar o barco. O porto é favorável, de acesso fácil; seu barranco, um…

O grito da vida* | Alcides Buss

  Na floresta há o grito das árvores. Nas árvores há o grito das aves. Nas aves há o grito do mar. No mar há o grito da água. Na água há o grito dos peixes. Nos peixes há o grito do céu. No céu…

Sinais* | Clauder Arcanjo

  “O arrepio é o código do mistério que nos rodeia.” (Paulo Bomfim, em O Colecionador de Minutos)   O primeiro, sob a copa do tamarineiro do Mercado Público, foi descoberto — melhor, percebido — na madrugada da segunda-feira. Após a grande feira do domingo,…

Avvicinati* | Alfredo Tagliavia

  Avvicinati che ora ti passo il telefono, ti ci faccio parlare io, ma come caspita si dice “aspetti un attimo” in portoghese? Dio mio quanto è logorroico questo qui, tutti uguali i mercanti d’arte, in qualsiasi parte del mondo vai sono così, gentili e…

Poèmes* | Denis Emorine

  Je t’écris du bout du monde A Génia Jensen Je t’écris du bout du monde Avec dans la bouche Le goût  usé des mots Qui se brisent contre moi. Je voudrais te dire mieux Combien je t’aime Même si le malheur grandit toujours Autour…