Ao usar nosso site, você está aceitando o uso dos nossos cookies.

Dois poemas e uma crônica de Patricia Tenório

  RENASCENÇA*   Casinhas pintadas Na paisagem silvestre De um vilarejo esquecido Me fazem lembrar Que um dia amei E não lembro mais O gosto da língua estrangeira O toque dos dedos alheios Quero sim amar de novo Amar Com sabor De outra vida nascida…

O Palhaço* – Patricia Tenório

21/11/11   Não é com a cólera, mas com o riso que se mata. (Friedrich Nietzsche, em Assim falava Zaratustra)               Começa com uma longa lista de patrocinadores. Estranho começo. Estranho, mas brasileiro.             – O filme é brasileiro. Tem algum problema para a…

Filosofia

Prisão Perpétua* – Patricia Tenório

Não existem fatos, só interpretações. Friedrich Nietzsche A cor púrpura dos cabelos caíam em cachos por sobre meus ombros. Saía do coiffeur, na Île de St Louis, os livros de francês debaixo do braço, ao encontro de mamãe. – Almoçamos no Deux Magots? No céu…

Ela adorava meus olhos verdes* – Nilto Maciel **

                       Mesmo assim, sumiu de minha vida. Ou eu sumi da sua. Voltei ao meu território natal depois de muitas andanças por aí. Passei fome e sede, escapei de carros, fugi da morte, livrei-me de pedradas. Não me saía da cabeça aquela mulher que…